Buenos Aires é a capital e a maior cidade da Argentina, além de ser a segunda maior área metropolitana da América do Sul, depois da Grande São Paulo. Ela está localizada na costa ocidental do estuário do Rio da Prata, na costa Sudeste do continente. O porto de Buenos Aires é o mais importante do país, e por isso os naturais da cidade são chamados de “porteños”.

 

Considerada uma das maiores cidades do mundo, Buenos Aires está formada por 48 bairros, sendo os mais tradicionais San Telmo, La Boca e Recoleta. A capital argentina possui um clima moderado e úmido com uma temperatura media anual em torno de 17°C.

 

Buenos Aires é um destino único, aberto, que integra e permite a todos aqueles que a visitam não só contemplar uma cidade, mas também usufruir de uma experiência urbana maravilhosa. Avenidas largas, praças arborizadas com muito verde e construções antigas caracterizam aquela que é conhecida como a capital europeia das Américas, assim projetada desde a sua criação e que, ainda hoje, mantém algumas características inalteradas.

 

Buenos Aires é a capital mundial do Tango e em qualquer canto da cidade você pode cruzar com um casal dançando tango. Ir a Buenos Aires e não conhecer uma casa de tango é como ir a Paris e não visitar os seus cafés. O tango traduz-se na música, na dança e no ritmo mais representativo da capital argentina. Surgiu no final do século passado e contribuiu para o aparecimento de algumas das maiores lendas da cultura portenha, como Carlos Gardel, por exemplo.

 

Culinária: Não deixe de comer uma boa parrilla argentina que é maravilhosamente deliciosa. Além da carne, o doce de leite é sensacional e a combinação doce de leite + churros é divinamente esplêndida! Tem também as empanadas, que são gostosas e eu comi tantas que virei uma empanada ambulante.

 

Cubierto: Serviço de mesa que muitos restaurantes costumam cobrar por pessoa, o pagamento não é facultativo e geralmente é um valor entre 05 e 30 ARS.

 

Propina: É a gorjeta dos garçons e geralmente não está incluída na conta. Após realizar o pagamento é que você deixa a propina para o garçom. Valor: 10% da conta.

 

Moeda: A moeda local é o peso argentino, simbolizado por ARS. Aconselho efetuar o câmbio na famosa Rua Florida, onde há a opção de câmbio paralelo. Optei pela agência “Gasparotto Viajes” localizada na Florida 559, Galeria Jardim, 1º Piso, Local 431. Quando viajei (Março – 2015), troquei USD 1,00 por 12,50 ARS e 1,00 BRL por 3,80 ARS. Aproveitei e fechei um pacote com eles e garanti quase todos os meus passeios turísticos ali mesmo. Entre em contato com Bárbara e tire suas dúvidas.

 

Aeroporto: Buenos Aires conta com dois aeroportos. Ezeiza (EZE) que é o maior e se encontra a 50 minutos de táxi do centro, e o Aeroparque (AEP), que é o mais central, a apenas 10 minutos de táxi do centro, porém, menor. Cheguei a Ezeiza e o táxi custou 400 ARS ou 120 BRL até Monserrat. Com certeza existem outras opções de transporte, mas como cheguei à noite - e sozinha - encarei a fortuna solicitada.

Leia aqui algumas alternativas de como ir de Ezeiza a Buenos Aires.

 

Se preferir, veja o roteiro rápido ou as dicas gerais.

Puerto Madero

Mi Buenos Aires Querido!

Roteiro

 

 

Dia 01: Centro + Retiro + Tango (Preferencialmente Sexta)

 

Microcentro ou Cidade Velha é a parte mais antiga de Buenos Aires. Aqui os primeiros colonos espanhóis se estabeleceram em 1580, pois contém os edifícios mais antigos da cidade, além de outros de importante valor patrimonial de tempos posteriores. As ruas de paralelepípedos, varandas e pátios com cisternas, igrejas, museus, feiras, cafés notáveis e tango ouvido em todos os cantos, fez desta área um testemunho extraordinário de tempo e um dos líderes fundamental da identidade porteña.

 

Aqui são colocadas a sede da Administração Nacional e do Governo da Cidade Autônoma de Buenos Aires, e outros edifícios emblemáticos, testemunho da história da cidade e do país. Neste setor predominam atividades administrativas, comerciais e próprios da centralidade. Caracteriza-se também pela localização dos hotéis e restaurantes típicos.

 

A Plaza de Mayo, situada neste bairro, foi a primeira da cidade e testemunhou eventos significativos na história da Argentina como a Revolução de Maio de 1810, ou as marchas das Mães da Plaza de Mayo durante a ditadura militar, que começou em 1976.

 

Comece pela Plaza del Congreso, uma das praças mais simbólicas de Buenos Aires, junto a Plaza de Mayo.

 

Mesmo sem estar incluso na lista oficial dos “48 bairros portenhos” o antigo e tradicional bairro de Congreso é outro dos interessantes pontos turísticos de Buenos Aires que merece ser visitado, considerando também a sua proximidade com outros lugares de destaque da cidade. O coração do bairro é a Avenida de Mayo. Considerada uma das principais avenidas de Buenos Aires, com construções em estilo europeu e seus antigos bares e comércios, foi criada com o intuito de comunicar os dois edifícios oficiais (a Casa Rosada no começo e o Congresso no final da avenida).

Quase 80 lojas do shopping oferecem ao turista estrangeiro o sistema de devolução de imposto IVA para as compras realizadas por um valor acima dos 70 ARS. Para mais informações, clique aqui.

 

Ao sair, certifique-se de pegar a Rua Florida.

 

Essa é a mais famosa de todas as ruas de Buenos Aires. Limitada unicamente ao passo de pedestres, este calçadão de aproximadamente um quilometro de extensão é um dos pontos turísticos de Buenos Aires mais apreciados e famosos. Estende-se de norte a sul, a partir da Avenida Rivadavia (próximo à Plaza de Mayo) para completar 10 quadras até a Plaza San Martin. 

Passe a manhã de domingo no bairro La Boca, provavelmente o mais pitoresco de Buenos Aires devido a sua história, seus costumes e suas cores. O nome do bairro La Boca de Buenos Aires deve-se ao local se encontrar na desembocadura do Riachuelo no Rio de la Plata. 

 

Para começar o dia com o pé direito, nada melhor do que uma visita ao La Perla, cafe notable de la ciudad porteña, localizado no coração desse irreverente bairro argentino.

Este lugar de repouso eterno da elite argentina foi criado em 1822. Paradoxalmente, seu criador, o presidente Bernardino Rivadavia, que morreu durante o exílio na Espanha, está em um mausoléu construído na Praça Miserere, no bairro de Balvanera.

 

No século XIX e início do século XX, as famílias da aristocracia exibiam sua riqueza nos túmulos e nos fins de semana, faziam piqueniques ali, para ficar perto de seus antepassados.

 

Com seis mil sepulcros e 70 mausoléus familiares – e uma área equivalente a de quatro quarteirões – esse cemitério é costumeiramente definido como “uma cidade miniatura com um quê de labirinto”. Ele está rodeado ao sul por bares, por um complexo de cinemas no lado oeste, por um centro cultural e um shopping do lado leste, e motéis verticais no lado norte.

 

Atualmente, lá descansam 19 presidentes argentinos, dois vencedores do Prêmio Nobel, 10 escritores, vários artistas e atletas. O mais famoso túmulo no cemitério da Recoleta é o de Eva Duarte de Perón, mais conhecida como “Evita”, ou, “a mãe dos descamisados”, que faleceu aos 33 anos, por conta de um câncer no útero.

Eu pulei esse passeio e fiquei no Caminito, rua-museu e um logradouro tradicional, lugar que eu mais gostei em Buenos Aires. Achei lindo, incrível, maravilhoso! A minha cara: linda, incrível e maravilhosa, risos. O colorido me fascinou. Fiquei completamente apaixonada por esse pequeno espaço inusitado na cidade portenha.

Conhecer também: A loja Cualquier Verdura (que só abre de Quinta a Domingo, 12h00min as 20h00min), onde todos os itens contidos na casa estão à venda.

 

Não esquecer: Tirar foto com Mafalda.

 

Na esquina das calles Chile e Defensa não tem para Evita Perón, Cristina Kirchner ou qualquer outra argentina da História. Naquele pedaço de Buenos Aires, quem manda é uma garotinha contestadora, que completou 50 anos em 2014. 

 

Mafalda, com seus seis anos de idade, paixão pelos Beatles e ódio por sopas, viveu todo o turbilhão da década de 60 questionando tudo e todos a sua volta.

 

Conquistou uma legião de fãs e muitas de suas histórias continuam atuais, mesmo 40 anos após sua última tirinha ser publicada, em 25 de Junho de 1973. E é na Argentina, sua terra natal, que a personagem é mais cultuada. Ela inclusive foi considerada a segunda mulher mais popular do país, perdendo apenas para Evita.

 

Em 2009, Mafalda saiu do papel e veio para o mundo real, ganhando uma estátua fofa no bairro de San Telmo. A escultura mostra a icônica menina de cabeleira volumosa sentada em um banco de praça, com um sorriso no rosto e um ar despreocupado.

 

A esquina das calles Chile e Defensa, em que a escultura encontra-se, não foi escolhida ao acaso. Ali ao lado, na Calle Chile número 371, está o prédio em que Mafalda mora (ou morou!?).

 

Na verdade, foi neste prédio que viveu Quino, o "pai" de Mafalda. O desenhista morou lá na década de 60 quando criou Mafalda, e deu a ela o mesmo endereço.

Frente ao Congresso Nacional estão localizadas três praças: a Plaza del Congreso, a Plaza Mariano Moreno e a Plaza Lorea, onde é possível apreciar os históricos monumentos e estátuas. Na Plaza del Congreso encontra-se o Monumento a los Dos Congresos. Já na Plaza Mariano Moreno, o Monolito referencial ao Quilômetro Zero (KM 0) - as diferentes distâncias dentro da cidade são calculadas a partir daí - e a estátua O Pensador, de Rodin.

Mas, é provavelmente o Palácio Barolo (Avenida de Mayo 1370, quase esquina com a Rua San José) que vai roubar a atenção da maioria dos turistas que visitam o bairro de Congreso. É uma construção luxuosa e imponente num estilo único (na verdade é uma combinação de diferentes estilos arquitetônicos), inspirada, segundo conta a lenda, na obra “A Divina Comedia” de Dante Alighieri.

 

Com 22 andares e aproximadamente 100 metros de altura, demorou quatro anos a ser construído, até ser finalmente inaugurado em 1923. Foi durante alguns anos o prédio mais alto da América do Sul, sendo superado só em 1935 depois da construção do edifício Kavanagh, no bairro do Retiro. Atualmente é utilizado como prédio comercial e nele funcionam mais de 500 escritórios.

Algumas quadras após o Palácio Barolo se encontra o célebre Café Tortoni – desde 1858. Está localizado na Avenida de Mayo, 825, e funciona a partir das 08h00min. Essa é uma parada mais que obrigatória para quem visita Buenos Aires.

 

O Café Tortoni é o mais famoso e tradicional da cidade portenha. Indico e recomendo pedir um chocolate quente e para acompanhar nada melhor do que churros com doce de leite.

 

Hummm... Estou com água na boca só de lembrar-me dessa maravilha gastronômica.

 

Dica: Saboreie sem moderação.

 

A próxima parada é logo no caminho, uma quadra adiante, na loja “Havanna”. Provavelmente você encontrará outras lojas da marca durante sua visita a Buenos Aires, mas não custa nada (digo, custa alguns simbólicos pesos, porém você está em Buenos Aires e na frente da Havanna) comprar pelo menos um alfajor e deixar na bolsa para comer mais tarde (ou daqui a pouco).

 

Eu gosto do alfajor branco com doce de leite. Acho que você não entendeu... Não precisa trazer para mim não, foi só um comentário despretensioso. Está bom, tudo bem, também não precisamos brigar por causa de um alfajor, né?! Se você quiser muito, muito, muito, MUITO trazer, eu juro que não ficarei triste nem me incomodarei com tamanha gentileza.

 

Sobre alfajores gostosos, clique aqui. Fiquei com desejo de experimentar o Cachafaz Branco... Deve ser "maraviliciosamente" divino.

 

Em seguida, vale a passagem rápida para conhecer o London City, que eu não sei exatamente se é bar, café, confeitaria ou os três juntos.

 

Inaugurada em 1954 e localizada em pleno coração de Buenos Aires, a Confeitaria London City sempre foi frequentada por numerosos artistas e homens da política. O Bar recebeu o nome de London City em homenagem a duas lojas inglesas que antes se encontravam lá perto: “A La Ciudad de Londres” e “Gath & Chaves”.

 

Suas portas foram fechadas há um ano, mas o espírito do café London City conseguiu resistir, ao contrário do que aconteceu com outros chamados “Bares Notables” (históricos) da cidade. Na cidade de Buenos Aires existem 73 bares notáveis, denominados assim por sua importância histórica. Nos últimos anos, alguns deles fecharam suas portas, outros, mudaram de função.

 

A próxima parada é logo mais, na célebre Plaza de Mayo, principal praça do centro da cidade de Buenos Aires. Ela sempre foi o centro da vida política de Buenos Aires, desde a época colonial até a atualidade. Seu nome comemora a Revolução de Maio de 1810, em que Buenos Aires se declarou independente da Espanha, provocando a Guerra de Independência da Argentina.

No lado leste da praça está localizada a famosa Casa Rosada, um majestoso edifício do século XIX, onde fica a sede do governo do país. Em frente à Casa Rosada está a estátua equestre do General Manuel Belgrano, importante líder militar e criador da bandeira argentina.

 

Outros edifícios importantes que circundam a praça incluem a Catedral Metropolitana de Buenos Aires e o impressionante edifício do Banco de la Nación, construído pelo famoso arquiteto local Alejandro Bustillo. Visite o Cabildo (Antiga Câmara Municipal), que, entre suas maravilhosas paredes caiadas, possui um pequeno museu e abriga um mercado de artesanato todas as quintas e sextas.

 

A Casa Rosada é um dos cartões-postais de Buenos Aires e sede da presidência da República Argentina. Foi construída em 1565, sendo chamada de Real Fortaleza de San Juan Baltasar de Austria. O prédio atual não é o projeto original, que foi modificado ao longo dos anos e hoje preserva somente o arco de acesso e um edifício no interior. 

 

Além de ser a sede do governo, ela abriga o Museu da Casa do Governo, que conta a história dos presidentes do país e narra as trocas de poder que ocorreram na Argentina. O lugar também é muito famoso por ter sido palco de históricas manifestações e protestos artísticos, culturais e sociais. Até hoje, os argentinos realizam suas manifestações em frente ao edifício para chamar a atenção. 

 

A cor rosa do prédio é um dos chamarizes. As diferentes versões históricas dizem que na época em que foi pintada foi utilizada uma cor mais barata, feita a partir de sangue animal, e que era rosada. Outras versões dizem que foi uma junção das cores vermelho e branco, ligadas a dois partidos políticos da época. 

Curiosidade: A Casa Rosada é formada originalmente por dois edifícios diferentes, se você olhar bem, ela não é simétrica. Sua entrada não é exatamente no meio e as janelas são diferentes de cada lado.

 

Visita Guiada: A Casa Rosada tem visitas guiadas gratuitas para quem quiser conhecer a história e arquitetura. Acontece aos Sábados, Domingos e feriados das 10h00min às 18h00min e tem duração de 60 minutos. Visitas em espanhol, inglês e português. Para mais informações, clique aqui.

 

Em seguida, atravesse a Av. Roque S. Peña para chegar até o Obelisco.

 

A Avenida Presidente Roque Sáenz Peña, mais conhecida como Diagonal Norte, é uma das principais artérias da cidade de Buenos Aires que tem o conteúdo simbólico de unir a sede do Poder Executivo (Casa Rosada) com a sede do Poder Judiciário (Palácio do Supremo Tribunal de Justiça), assim como a Avenida de Maio faz a junção do Poder Executivo ao Legislativo.

 

Curiosidade: Observe que todos os prédios possuem a mesma altura, 33m.

 

Conhecido no mundo inteiro como o cartão postal da Argentina, o Obelisco é o maior ícone de Buenos Aires e foi inaugurado no dia 23 de Maio de 1936. O monumento com 67,5 metros de altura foi construído para comemorar os 400 anos da fundação da capital. Hoje, a construção é um dos principais símbolos da cidade, palco de manifestações e símbolo da imponência da cidade.

Cada um dos seus lados simboliza diferentes coisas:

 

Fachada Leste: Fundação da cidade de Buenos Aires em 1536;

Fachada Sul: Refundação de Buenos Aires em 1580;

Fachada Oeste: Criação da Capital Federal em 1880;

Fachada Norte: 1º içamento da Bandeira Argentina na Igreja de San Nicolás, que foi demolida para dar lugar ao Obelisco.

 

Curiosidade: O Obelisco não só tem endereço, como tem número e até mesmo CEP, já que ele possui uma pequena portinha. É Avenida Corrientes, 1066.

 

Logo mais, ainda na Av. 9 de Julio, encontra-se o Teatro Colón - principal casa de ópera de Buenos Aires. Acusticamente, é considerado um dos cinco melhores teatros do mundo. Assim, é um importante ícone cultural de Buenos Aires e um dos cartões postais da cidade.

Havanna Alfajores

Nota: As próximas três paradas são recomendas para almoçar, depende do seu gosto, dinheiro e fome.

 

Em seguida, pegue a Av. Córdoba e após cerca de quatro quadras visite as Galerias Pacífico. Seu imponente prédio ocupa um quarteirão inteiro e fica entre as ruas: Florida, Córdoba, Viamonte e San Martín. O horário de funcionamento é de Segunda a Sábado das 10h00min até às 21h00min e aos Domingos a partir do meio dia até às 21h00min.

 

Em seus vários andares comunicados com escadas rolantes, mais de 150 lojas das mais prestigiadas marcas nacionais e internacionais estão presentes. Essas são algumas das lojas que você encontrará nas Galerias Pacífico: Abuela Goye, Adidas, Adolfo Dominguez, Airborn, Biotherm, Blackberry, Blaquè, Boating Shoes, Bobbi Brown, Chanel, Cheeky, Christian Lacroix, Claudia Larreta, Clinique, Como quieres que te quiera, Estée Lauder, Etiqueta Negra, Havanna, Home Collection, Hugo Boss, Ice - Watch, La Parfumerie, Lacoste, Lancôme, Levi's, López Taibo, L’Occitane, Mac Pro, Metrópolis, Nike, Piedras Argentinas, Polo Ralph Lauren, Samsonite, Sony Style, Swarovski, Swatch, Timberland, Time Zone, Tommy Hilfiger, Tonel Privado e muito mais.

 

Dentro do edifício funciona a Escuela Argentina de Tango e o Centro Cultural Borges, além de uma interessante galeria de arte e visitas guiadas para turistas. No subsolo encontra-se uma completa praça de alimentação com cafeterias, casas de fast-food e restaurantes. Aqueles que precisarem ficar online podem utilizar o serviço de Wi-Fi da área.

Dica: Essa rua é a mais recomendada para efetuar câmbio e comprar passeios turísticos devido à alta incidência de casas destinadas a este fim. Escolhi a agência Gasparotto Viajes e fechei um ótimo pacote com todos os passeios que eu queria realizar e todas as atrações que gostaria de conferir. Fale com Bárbara clicando aqui.

 

Ir em direção à Av. Corrientes, uma das principais e mais famosas avenidas de Buenos Aires, sendo o eixo da vida noturna e boêmia da cidade. Ir a Buenos Aires e não conhecê-la é como ir a São Paulo e não passar pela Avenida Paulista. A Avenida Corrientes é uma das avenidas que mais representa Buenos Aires e uma das mais amadas pelos portenhos. 

É a avenida das livrarias, cafés, cinemas, teatros e pizzarias. Ela começa no bairro de Puerto Madero e termina 70 quadras depois, no bairro Chacarita. A maioria das pizzarias mais tradicionais está na Av. Corrientes, especialmente no Centro. São algumas delas: Guerrín, Los Inmortales, Banchero, Las Cuartetas e El Palacio de la Pizza.  Clique aqui para ver a lista de restaurantes que você precisa conhecer nessa Avenida.

 

Destaques: Guerrín, 1368 / Los Inmortales, 1369 / Paseo La Plaza, 1660 / El Gato Negro Café, 1669 / Confeitaria El Vesuvio, 1181 / Café La Giralda, 1453.

 

Para fazer a digestão, passeie de volta pela Rua Florida até a Plaza San Martín ou pegue um táxi e vá diretamente ao local descansar do almoço.

 

A praça é como um oásis no centro de Buenos Aires, a tranquilidade do local contrasta com o tumulto do centro. Uma grande área verde, rodeada por prédios lindíssimos, onde, em outros tempos, viveram algumas das famílias mais importantes da Argentina.

 

No começo do século 17, o governo espanhol construiu uma casa de campo batizada de El Retiro, que mais tarde se tornou sede das companhias responsáveis por levar escravos à Argentina. Anos depois, o terreno foi cenário de disputas entre as tropas da Espanha e da Inglaterra, quando recebeu os soldados de Don José de San Martín, libertador de Argentina, Chile e Peru. Hoje, o local é uma das mais bonitas praças da cidade, com grande variedade de árvores e plantas.

 

O comandante San Martín foi homenageado com uma estátua em 1862 e deu nome ao local quando a praça se tornou oficialmente pública. Lá ainda está o monumento em homenagem aos soldados mortos na disputa pelas Ilhas Malvinas, em 1982, e a Torre de los Ingleses, presente dos britânicos ao centenário da Revolução de Maio, que é uma réplica do famigerado Big Ben.

Ao redor da praça você pode ver o Hotel Sheraton, o Círculo Militar, o Palácio San Martin e o Edifício Kavanagh, o mais alto da América Latina na época de sua conclusão, em 1935.

 

Curiosidade: Nos jardins do Palácio San Martin, há um pedaço do Muro de Berlim, doado pela Alemanha como presente à Argentina. A visita guiada ao Palácio é gratuita, mas é bom ligar antes para confirmar, porque pode haver alguma solenidade marcada, o que suspende o acesso do público.

 

Agora, você está com o restante do dia livre para fazer o que quiser...

 

À noite, não deixe de conferir uma bela apresentação de Tango. Fui ao Madero Tango e ao Señor Tango. AMEI os dois. A escolha será difícil, mas tenho certeza que não irá se arrepender. Bom Espetáculo!

Alguns sites para te auxiliar:

 

Shows de Tango em BsAs

Lugares com Shows de Tango em BsAs

Informações sobre Shows de Tango em BsAs

Escolhendo um Show de Tango em BsAs

 

Dia 02: Recoleta + Palermo + Pub Crawl (Preferencialmente Sábado)

 

Para começar o sábado com gostinho argentino nada melhor do que um sorvete sensacional de doce de leite da sorveteria FREDDO, localizada próximo ao Cemitério da Recoleta.

Nota: Nem só de FREDDO vivem os argentinos, há outras sorveterias famosas na cidade também, clique aqui e confira algumas.

 

A Recoleta é um bairro nobre de Buenos Aires, abriga muitas atrações turísticas e seus imóveis estão entre os mais valorizados da cidade. O bairro é o mais parisiense da capital argentina, reduto da antiga aristocracia portenha. Elegância e sofisticação se unem em seus museus, galerias, cafés e boutiques, fazendo da Recoleta um passeio simplesmente imperdível.

 

A atração mais procurada pelos turistas que visitam o bairro é a elegante cidade dos mortos, mais conhecida como o Cemitério da Recoleta.

 

A estética e a ostentação são duas marcas do Cementerio de la Recoleta, localizado ao lado do centro portenho. Poderíamos defini-lo como o “Père Lachaise portenho”, já que ali, tal como no cemitério parisiense, estão enterradas as principais figuras da história do país, entre heróis da independência, presidentes, intelectuais e cientistas.

 

Seria o equivalente a um cemitério que no Brasil reunisse no mesmo lugar figuras como Dom Pedro I (que está enterrado em São Paulo), Dom Pedro II (em Petrópolis), Machado de Assis (que está no Rio), ou o marechal Castelo Branco (em Fortaleza) e Juscelino Kubitschek (em Brasília).

O Cemitério da Recoleta está aberto para visitação todos os dias da semana, das 7h00min às 17h30min. A visita é gratuita e a própria administração do cemitério costuma oferecer tours guiados, que também são gratuitos. As visitas ocorrem em espanhol e inglês, com horários pela manhã e pela tarde.

 

Curiosidade: Veja aqui cinco histórias surreais do Cemitério da Recoleta.

 

Depois da visita, aproveite para conhecer a Feira da Recoleta situada na Praça Francia, logo em frente ao Cemitério. A feira funciona todos os fins de semana das 11h00min às 20h00min.

 

Aproveitando o passeio pelo local, vale uma ida ao Buenos Aires Design, onde está situado o Hard Rock Café. Um dos itens que mais chama a atenção dos visitantes fica no pequeno palco, ao lado do bar: um belíssimo vitral, ao melhor estilo igreja católica, onde Beatles e Stones “cantam” juntos. Horário de funcionamento: Domingo a Quinta das 12h00min à 1h00min, Sexta e Sábado das 12h00min às 3h00min.

Nota: O almoço pode ser no HRC ou em outro restaurante à sua escolha.

 

5 Dicas de Restaurantes na Recoleta

10 Indicações de Restaurantes na Recoleta

 

Do outro lado da Av. Figueroa está a Floralis Generica, uma escultura metálica situada na Plaza de las Naciones Unidas, presenteada à cidade pelo arquiteto argentino Eduardo Catalano. Segundo o autor, Floralis significa que seja parte da flora e Genérica derivada do conceito de "gênero" e indica que ela representa todas as flores do mundo.

 

A grande flor feita em aço inoxidável com esqueleto de alumínio tem seis pétalas, pesa dezoito toneladas e atinge 23 metros de altura.

 

Uma das características da flor é um sistema elétrico que abre automaticamente e fecha as pétalas, dependendo da hora do dia. Durante a noite a flor fecha e emana de seu interior um brilho vermelho e abre-se pela manhã. Este mesmo mecanismo que abre a flor faz com que esta se feche na presença de ventos fortes. Ele abre todas as manhãs às 08h00min e termina ao pôr do sol, em um horário que varia conforme a estação.

 

Atualmente, entretanto, encontra-se desativada e o Estado alega que o preço do conserto é inviável.

Para a tarde, recomendo um lindo passeio pelos Bosques de Palermo, a mais importante área verde da cidade de Buenos Aires com mais de 80 hectares reunidos em vários parques, praças e lagos artificiais. Nele estão o Jardim Japonês, o Rosedal, o Zoológico, o Jardim Botânico e o Planetário Galileu Galilei.

 

Embora seja um espaço público, a entrada ao Jardim Japonês é paga, e tudo que é arrecadado é destinado à manutenção do Complexo Cultural e Ambiental Jardim Japonês, administrado pela Fundação Cultural Argentino-Japonesa.

 

Todos os elementos do Jardim Japonês buscam a harmonia e o equilíbrio. As pontes constituem símbolos: dizem que a vermelha, localizada no meio do jardim, é chamada de Puente de Dios (Ponte de Deus) e representa o caminho para o paraíso. No mapa consta apenas como Puente Curva. A outra ponte é chamada Puente Truncado e conduz à "ilha dos remédios milagrosos".

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Horário de Funcionamento: Entre as 10h00min e as 18h00min.

Valor: 70 ARS / Menor de 12 anos não paga.

Dica: Comprar um papelzinho no quisoque, escever um pedido e pendurar no Oráculo da Sorte.

El Rosedal é um dos mais bonitos da cidade.

 

Possui um lago onde você pode alugar barcos, uma área dedicada ao cultivo de rosas, uma coleção de bustos de poetas e escritores e um pátio típico da Andaluzia. O parque tem 18.000 roseiras de espécies diferentes. Há também o Jardim dos Poetas, onde poderá encontrar esculturas de escritores famosos como William Shakespeare, Paul Groussac, Alfonsina Storni, Dante Alighieri, Federico García Lorca e Antonio Machado, entre outros.

 

Funciona das 08h00min às 17h00min no inverno e das 08h00min às 19h00min no verão e a entrada é gratuita. Melhor época: Entre Outubro e Abril.

O Zoológico de Buenos Aires funciona de Terça a Domingo, das 10h00min às 18h00min. O valor é de 190 ARS e menor de 12 anos não paga.

 

O Jardín Botánico Carlos Thays foi inaugurado em 7 de Setembro de 1898. Sua extensão é de 69.772 m2 e possui mais de 5.500 espécies vegetais. Além disso, conta com numerosas esculturas como “La Primavera”, “Loba Romana”, “Mercurio”, “Venus”, entre outras. É conhecido também como o Jardim dos Gatos por haver muitos felinos no local.

 

Dentro do recinto do Jardim Botânico podem ser encontrados três tipos de jardins: um é do estilo romano, que imita a estética daqueles que existiam na época do Império Romano. Exuberante, com abundantes espécies como o louro, choupo e cipreste. O segundo jardim é o francês, onde é possível apreciar os desenhos inspirados na época do Jardim de Versalhes, a partir do século XVII. Por último, o jardim oriental é um espaço onde se respira uma atmosfera de total relaxamento combinada com uma paisagem perfeita.

Horário de Funcionamento: No verão, de Terça a Sexta das 08h00min às 18h45min. Sábados, Domingos e Feriados das 09h30min às 18h45min. No inverno, de Terça a Sexta das 08h00min às 17h45min. Sábados, Domingos e Feriados das 09h30min às 17h45min. Entrada gratuita.

 

O Planetario Galileo Galilei foi construído em 1962 pelo arquiteto Enrique Jan.

 

O edifício foi inspirado pelo planeta Saturno. O planetário possui cinco andares, seis escadas (uma helicoidal) e uma sala circular de 20 metros de diâmetro com 360 poltronas. Na cúpula semi-esférica, de 20 metros de diâmetro e recoberta interiormente com chapas de alumínio, projeta-se a cúpula celeste. No centro da sala está localizado o autentico planetário: um aparelho de 05 metros de altura e 2,5 toneladas de peso que tem uns cem projetores. O planetário tem uma equipe de luzes e sons que representa o universo.

 

No lago adjacente se encontra a escultura “Sorprendida”, do italiano Nicolás A. Ferrari e a poucos metros, um monólito evocativo do sábio e astrônomo polonês Nicolás Copérnico.

Nota: Vi uma foto de uma entrada que me deixou triste por não tê-la descoberto antes da minha viagem, mas feliz por saber – mesmo tardiamente – da sua existência. Chama-se “Provoleta com Jamon Crudo, Tomates Secos e Manjericão”. Quando eu tiver uma nova oportunidade, não deixarei de prová-la, mas perguntarei se não tem uma Mozzarella de Búfala também para acompanhar.

 

Dica: Melhor chegar entre 18h30min e 18h45min e ficar na fila para não perder a oportunidade.

 

Depois do jantar, comece o América’s Pub Crawl pelo bairro.

 

Vizinho ao La Cabrera tem o Chez Juanito, um lugar para todo el mundo!

 

A partir daí, caminhe pela Rua Jose Antonio Cabrera até a Rua Serrano, dobre a esquerda e siga em frente até a Plaza Serrano, novamente, agora não mais para visitar a feirinha e sim alguns bares interessantes.

 

Escolha um dos inúmeros bares da praça e sente-se para tomar uma cerveja e apreciar o movimento na capital argentina.

 

Sugestão: Cronico Bar e Sullivan's.

Nota: O show astronômico principal é o Viaje a las Estrellas, criada pelos astrofísicos e expertos do American Museum of Natural History, com a colaboração da NASA e de destacados Científicos argentinos e estrangeiros.

 

Dica: Ligar ou entrar no site para verificar disponibilidade.

 

Depois do passeio, pegue um táxi até a Plaza Júlio Cortázar, mais conhecida como Plaza Serrano, e aprecie a famosa Feira de Palermo Soho, conhecida pelo design e pela moda.

 

À noite, recomendo jantar no La Cabrera, o restaurante mais visitado em Palermo Soho e uma das melhores churrascarias de Buenos Aires.

 

Eu já tinha pesquisado sobre o restaurante antes da viagem, só não sabia ainda dos seus preços um tanto quanto salgados para uma mochileira, risos... Então, recebi uma dica valiosíssima que eles possuem um horário especial com desconto de 40%. Não preciso nem comentar o quanto meus olhos brilharam e a minha barriga vibrou.

 

Das 19h00min às 20h00min (você tem exatamente uma hora para ser feliz e sair saltitante de tanta alegria), de Terça a Domingo, todo o cardápio fica com 40% de desconto.

A próxima parada é na Cervejaria Antares, que fica no caminho da Plaza Serrano até o Centro Cultural Armenia, onde está localizado o La Viruta. Para chegar ao local, pegue a Rua Honduras, ande dois quarteirões, vire à direita, na Rua Armenia, e ande um quarteirão e meio.

 

Dica: Fazer uma parada especial no Bar Sheldon, na rua Honduras, 4969.

 

No quarteirão seguinte ao da Cervejaria está o La Viruta. Parada opcional para aula de Tango por 120 ARS às 22h30min. Caso não tenha interesse, não se apresse nos outros bares para chegar até aqui no horário da aula, aproveite cada bar que a noite só está começando.

Para informações sobre Milongas em Buenos Aires, clique aqui.

 

Quando sair do La Viruta (se é que você foi, risos), se ainda estiver com pique, acho válido ir até a Plaza Armenia – que está a 3 quadras do Centro Cultural Armenia – e conferir o Sugar Bar e o The Temple Bar, que estão localizados na Rua Costa Rica e é onde termina o meu Pub Crawl.

 

Dia 03: Caminito + San Telmo + Puerto Madero (Preferencialmente Domingo)

 

Primeira Parada: Caminito

Melhor Horário: Entre 09h30min e 10h00min.

Dica: Depois do La Perla, tirar fotos enquanto o bairro ainda não está muito cheio e só depois passear e comprar.

Na área onde hoje está Caminito, em 1898 passou a linha do trem.

 

Em 1928, a ferrovia fechou e o terreno foi abandonado.

 

Em 1950 um grupo de moradores, entre os quais estava o famoso pintor Boca Quinquela, decidiu restaurar o terreno. O pintor batizou a rua como “Caminito” pelo título do popular tango de 1926, de Peñalosa e Filiberto. Ao passeio foram somando-se as doações de diferentes artistas.

 

Em 1959, Caminito foi transformado em um museu a céu aberto e sem portas.

 

As casas na área do Caminito são também conhecidas como "Conventillos". As casas eram típicas dos imigrantes genoveses no final do século XIX. As condições de vida nos "Conventillos" eram muito pobres. Hoje, alguns deles foram transformados em lojas de souvenirs e você pode visitá-los gratuitamente.

La Boca é um bairro da cidade Buenos Aires que, por sua localização próxima ao porto, foi habitada por muitos estrangeiros que chegavam pelo porto para trabalhar.

 

O bairro possui duas grandes atrações: O estádio do Boca Juniors (La Bombonera), o time com maior quantidade de torcedores da Argentina e conhecido por serem absurdamente fanáticos por futebol, e o Caminito, onde parte do bairro foi restaurada.

 

O Caminito tem uma característica peculiar: as casas são construídas com tábuas de madeira, placas e telhas de metal e pintados com muitas cores. Isso porque, quando os estrangeiros - principalmente espanhóis e italianos - construíam suas casas, usavam as tintas que sobravam dos navios do porto para pintá-las. 

 

Os imigrantes italianos eram em grande parte genoveses. Eles criaram em La Boca os dois futuros clubes mais populares do país: não só o Boca Juniors, mas também o River Plate foi criado no bairro, posteriormente mudando-se para a área mais nobre de Belgrano. A rivalidade originou-se justamente da proximidade entre os dois clubes, só depois se acentuando em razão de o River passar a representar a elite portenha, enquanto o Boca popularizou-se como o clube dos operários.

 

Para os amantes do futebol, não deixem de visitar o estádio La Bombonera e conhecer mais sobre a história do Boca Juniors.

Eu quase enlouqueci quando vi tantas lembranças lindas! Queria comprar tudo e mais um pouco. Ah, se eu pudesse e meu dinheiro desse... Acho que minha casa viraria o próprio Caminito, risos. Não pude comprar tudo o que gostaria, mas comprei uns quadrinhos lindos que vi vendendo na rua, umas plaquinhas encantadoras que tinha na banquinha da esquina, miniaturas e imãs na lojinha etc.

 

Alerta: Apesar de toda a beleza do local, preste bastante atenção em seus pertences, pois o bairro exige cuidado já que há um índice significativo de furtos e roubos. Ande sempre em grupo ou com guia local e evite caminhar por ruas desconhecidas e desertas. Fique esperto!

 

Não é recomendado visitar o bairro após as 16h00min.

 

Segunda Parada: San Telmo

Horário: Das 10h00min às 17h00min.

Lembrete: Espero que você tenha guardado uma parte do dinheiro para gastar na Feira de San Telmo, risos.

Sugestão para Almoço: El Baqueano, La Brigada, Gran Parrilla del Plata, Brasserie Petanque, Sagardi, Piegari, La Panaderia de Pablo, Antiga Tasca de Cuchilleros, Desnivel, El Federal, Don Ernesto e Café San Juan.

 

A (regra) tradição é clara: Domingo é dia da Feira de San Telmo!

 

O bairro de San Telmo é conhecido como o bairro boêmio da cidade, nele encontram-se muitos antiquários e os famosos cafés tradicionais argentinos.

 

Desde 1970, sem falhar um domingo sequer, a Feira de San Telmo reúne hordas de turistas e portenhos no passeio mais antropológico de Buenos Aires. No meio da Plaza Dorrego, barracas tiram do fundo do baú um arsenal de antiguidades, quinquilharias e badulaques de encher os olhos e o coração de saudade. O local, além das muitas barraquinhas, abriga artistas locais de todos os gêneros: de dançarinos de tango a mímicos, sendo palco, também, de artistas anônimos, em busca de alguns trocados e diversão.

Aviso: Em algumas partes da feira, há multidões de pessoas, por isso cuidado com os batedores de carteiras.

 

Na Calle Defensa nº 961 está o Mercado de San Telmo, que fica aberto todos os dias, mas está especialmente movimentado aos Domingos, por conta da feira que só acontece nesse dia. A construção de 1897 ocupa quase a quadra inteira e tem no seu interior mais banquinhas de antiguidades, discos, mas também de frutas, verduras e até mesmo um açougue. Dentro do Mercado está um dos melhores cafés de San Telmo, o Coffe Town, que serve deliciosos cafés.

Dica: Com piso quadriculado, mesas e cadeiras de madeira, pé-direito alto e ventiladores que giram como se não tivessem sido desligados nos últimos 50 anos, o café e bar La Poesia serve, desde os anos 1970, como reduto de artistas, intelectuais e boêmios, que promovem concorridos saraus, que fariam Susanita, a romântica personagem de Quino, suspirar. Os mais de cem tipos de sanduíche do cardápio fazem do lugar também uma ótima parada para um lanche rápido. Rua Chile, 502.

 

Recomendação: O tango dita o ritmo do Bar Plaza Dorrego, na Rua Defensa 1.098, bem em frente à praça. A música toca sem parar no sistema de som do bar, que eventualmente serve de palco para apresentações intimistas. Café com leite e media lunas casam perfeitamente com os passos dos bailarinos.

 

Sugestão: Na esquina das ruas Carlos Calvo e Perú fica outro patrimônio de San Telmo, o Bar El Federal, que começou a servir a clientela local em 1864. As picadas, como são chamados os tira-gostos, podem te prender ali por horas. O balcão, adornado com uma peça de madeira cuidadosamente esculpida, assim como a cesta de amendoins e os embutidos pendurados lembram o armazém de Don Manollo, pai de Manollito, o amigo de Mafalda que só pensava em lucrar e não venderia fiado nem para seu criador, o antigo morador da Chile 371.

 

Terceira Parada: Puerto Madero

Melhor Horário: À noite.

Nota: Desfrute ao máximo desse lugar lindo, romântico, magnífico, esplêndido...

Puerto Madero é presença obrigatória no passeio de qualquer turista que vai a Buenos Aires. O bairro, que possui um dos metros quadrados mais caros da América Latina, é um dos mais modernos da cidade, sendo um centro financeiro e gastronômico desta capital.

 

Depois do Caminito, Puerto Madero foi o lugar que eu mais me identifiquei em Buenos Aires. Caminhar pelos quatro diques, atravessar a Puente de La Mujer, comer uma parrillada e tomar uma cerveja no Quiosque Quilmes não tem preço.

 

A Avenida Alicia Moreau de Justo, com seus vários prédios de tijolo vermelho, é o cartão postal de Puerto Madero e concentra uma das melhores ofertas gastronômicas da cidade.

Sugestões: Las Lilas (restaurante mais caro da cidade), Chila, La Cabaña, Sottovoce, La Bisteca, La Parolaccia del Mare etc. Optei pelo Brasas Argentinas que me recomendaram pelo bom custo-benefício. Gostei.

 

Quiosque Quilmes: Depois do jantar, caminhei pelo dique e não resisti a esse quiosque localizado próximo à Puente de La Mujer. Sentei de frente para o calçadão, tomei uma cerveja Quilmes bem gelada e fui muito feliz observando o movimento em Puerto Madero.

 

Curiosidade: Puerto Madero é considerado o bairro feminino simplesmente porque todas as suas ruas têm nome de mulher. Alicia Moreau de Justo, Macacha Guemes, Azucena Villaflor e Juana Manso são exemplos de nomes de ruas. Existe ainda no bairro o Parque Mujeres Argentinas e a Puente de La Mujer.

 

Fragata Sarmiento: Esta histórica embarcação da Armada argentina, inaugurada em 1897, se encontra hoje ancorada no Dique 03 de Puerto Madero. Possui 85m de comprimento, 12 canhões e 35 velas. Nela funciona um interessante museu que permite reviver todas as aventuras da fragata mundo afora. Aberto diariamente das 9h00min as 20h00min. A entrada custa 02 ARS.

Puente de La Mujer: Uma moderna ponte, criação do reconhecido arquiteto espanhol Santiago Calatrava, o mesmo que projetou a Cidade das Artes e das Ciências de Valência e o Complexo Olímpico de Atenas. 

 

O nome é mais uma homenagem ao sexo feminino, já que a maioria das ruas de Puerto Madero tem nome de mulheres. Esta ponte de pedestres é uma espécie de homenagem ao conjunto da obra. O autor teria se inspirado em um casal dançando tango.

 

A ponte estruturada em aço tem um trecho giratório para as embarcações passarem.

Casino Flotoante Puerto Madero: Embora os cassinos estejam legalizados na Argentina, não é o caso da cidade de Buenos Aires. Por isso o único cassino da capital fica fora do seu território físico, num belo barco antigo ancorado em Puerto Madero.

 

A entrada é gratuita e o cassino fica aberto 24 horas por dia, todos os dias do ano.

 

Dicas: Bairro Histórico (Puerta de la Ciudadela, Plaza Mayor, Basílica do Santíssimo Sacramento, Ruinas del Convento de San Francisco y Faro – 118 degraus para a melhor vista de Colonia del Sacramento), Calle de los Suspiros (Reza a lenda que quem subir e descer três vezes a pequena ladeira nunca mais terá problemas amorosos), Basilica del Santíssimo Sacramento, Avenida General Flores, Rio de la Plata, Muelle 1866, Club Yachting y Pesca.

Puerto Madero
Las Plazas
Congreso Nacional
Las Plazas
Las Plazas En Detalle
Palacio Barolo
Cafe Tortoni
Chocolate y Churros con Dulce de Leche
Havanna
Plaza de Mayo
Casa Rosada
Casa Rosada
Casa Rosada
Teatro Colón
Teatro Colón
Galerias Pacífico
Galerias Pacífico
Rua Florida
Avenida Corrientes
Don José de San Martín
Torre de Los Ingleses
Tango
Freddo Heladería
Dulce de Leche Helado
Cementerio de la Recoleta
Cementerio de la Recoleta
Evita Perón
Cementerio de la Recoleta
Beatles y Stones en el Hard Rock Café BsAs
Floralis Generica
Floralis Generica
Jardin Japones
Jardin Japones
Oráculo da Sorte
El Rosedal
El Rosedal
Jardín Botánico
Jardín Botánico
Planetario Galileo Galileu
La Cabrera 
La Cabrera 
Chez Juanito
Cronico Bar
Cervecería Antares
La Viruta
Caminito
La Perla
La Perla
La Bombonera
Boca Juniors Escudo 
Caminito
Caminito
Caminito
San Telmo
Feria de San Telmo
Feria de San Telmo
Mercado de San Telmo
Coffee Town
Mafalda
Puerto Madero
Puerto Madero
Puerto Madero
Fragata Sarmiento
Fragata Sarmiento
Puente de La Mujer
Casino Flotoante Puerto Madero

Se quiser estender a noite, recomendo passear pela Av. Corrientes, conhecida como a Broadway portenha e apelidada, na década de 50, como “A rua que nunca dorme”, pelo jornalista Roberto Gil.

 

Opções para mais dias em BsAs

 

Colonia del Sacramento: Famoso bate-volta desde Buenos Aires até o Uruguai. Como diria Sílvia do Matraqueando, Colonia del Sacramento é aquele tipo de cidade que você tem vontade de abraçar e dizer “pode entrar, fique à vontade”. Parece alguém querido da família. E por isso deixa tanta saudade quando vamos embora de lá.

Colonia del Sacramento
Colonia del Sacramento

Com um mapa na mão e muita disposição para andar é possível conhecer toda a parte mais turística da cidade.

 

Simples, linda, romântica e conquistadora, é difícil não se apaixonar por cada pedacinho de Colonia del Sacramento.

 

Há a opção de aluguel de scooters ou carrinhos de golfe (capacidade máxima para quatro pessoas) logo ao desembarcar no porto.

 

Fiz tudo a pé, pois estava em uma excursão que fechei desde Buenos Aires com a Gasparotto Viajes, e o passeio foi muito tranquilo. AMEI!

Colonia del Sacramento
Colonia del Sacramento
Colonia del Sacramento

Restaurantes: El Buen Suspiro, El Drugstore, Lentas Maravillas, Meson de la Plaza, La Florida.

 

Nota: A viagem dura 01h00min em barco rápido e 02h30min em barco lento. Você pode comprar os bilhetes online nos sites: Buquebus, ColoniaExpress ou SeaCat.

Colonia del Sacramento

Zoo Luján: Destaca-se pela possível interação dos visitantes com diferentes tipos de animais, podendo até entrar na jaula dos leões e tigres, por exemplo. Por muito tempo fiquei na dúvida se incluiria ou não o zoológico ao meu passeio por Buenos Aires devido à grande polêmica que envolve o tema. Há muitos questionamentos em torno da questão se os animais são ou não dopados, se o zoológico deveria ou não existir, e por aí vai.

Zoo Luján

A explicação por parte deles é que os animais nascem, crescem e vivem com a presença de cachorros na jaula o que contribui bastante para o amansamento deles.

 

Além disso, dizem também que por possuírem hábitos noturnos, durante o dia eles dormem, facilitando assim a entrada dos visitantes para tirarem as fotos.

 

Em uma das leituras vi que o dono do zoológico disponibilizou a área para quem quisesse acampar por ali a fim de observar os hábitos noturnos dos animais e o tratamento dos instrutores com eles. Liberou também o exame de sangue para verificar se eles são ou não são dopados.

Zoo Luján
Zoo Luján

Como eu disse, eu fiquei extremamente em dúvida se iria ou não. Pesquisei muito a respeito, li vários depoimentos e então resolvi conferir com meus próprios olhos, até mesmo para poder dar minha opinião. Fui e gostei. Gostei do zoológico em geral, apesar de se assemelhar muito mais a uma fazenda.

 

Quanto à polêmica, eu não tenho como confirmar nada até porque nem acampei nem fiz os exames nos animais, risos. Mas acho que se realmente fosse o caso de acontecer tudo o que as pessoas dizem, já teriam descoberto e o zoológico já teria sido processado ou até mesmo teria tido suas portas fechadas.

 

Recentemente assisti a um documentário sobre o SeaWorld, na Disney, com diversos depoimentos de ex-instrutores mostrando a realidade e o perigo que envolve a famosa atração turística das orcas assassinas. O Parque é constantemente multado e autuado por infrações em segurança e, além disso, já esteve na justiça algumas vezes devido às mortes de treinadores das baleias no ambiente de trabalho. Fiquei chocada com o vídeo e não irei mais ao Parque - só fui uma vez quando tinha 15 anos, mas não voltarei.

 

Nunca soube de processo algum contra o Zoológico Luján nem de provas existentes ou acidentes ocorridos. Não sei da existência de documentário a respeito do assunto, então para mim todas as críticas e afirmações não passam de especulações, pelo menos por enquanto. Se um dia alguma prova vier à tona, então ficarei decepcionada e deixarei de recomendar a visita. Por enquanto, acho que vale a pena ir, se for do seu interesse, e tirar suas conclusões.

 

Depois dos tigres e leões, fui para as outras atrações, “diurnas”, que por sinal eu amei, principalmente a parte dos elefantes que eu sou apaixonada.

Zoo Luján
Zoo Luján

Como eu estava em uma excursão, logo após o horário do almoço, o grupo iria conhecer a cidade de Luján e visitar a famosa Basílica Nossa Senhora de Luján que dizem parecer bastante com Catedral de Notre-Dame de Paris.

 

Eu preferi ficar no zoológico e foi ótimo porque então eu vi o tigre branco acordado andando elegantemente para lá e para cá, uma exuberância só! 

 

Depois do horário do almoço dos animais, tirei novas fotos com eles acordados e posando para a foto junto comigo.

 

Além disso, passei na salinha das fotos (em algumas atrações do zoológico o fotógrafo profissional tira sua foto e depois você tem a opção de comprá-las ou não, mas na parte das aves e répteis só eles podem tirar as fotos, o que é uma jogada e tanta porque isso meio que te obriga a comprar as fotos, risos) para verificar como eu tinha saído e vi que eu não tinha gostado de algumas fotos, então voltei e tirei novamente, afinal já que eu iria comprar mesmo, queria todas lindas.

Zoo Luján
Zoo Luján

Dica: Se estiver sol, prepare-se para muito calor, pois o local é aberto. Então, não se esqueça de o passar protetor solar. Se estiver chovendo, prepare-se para ficar molhada e para muita lama, risos. Bom passeio!

Esses foram os dois passeios que eu escolhi, mas também há alternativas como, por exemplo: Tigre e Delta, La Plata, Montevideo e Punta del Este.

 

Tigre e Delta assim como La Plata são passeios de um dia. Se quiser ir ao Uruguai recomendo pegar o voo de volta (ou de chegada) em Montevideo que facilita o trajeto. Reserve 2 dias para Montevideo e 3 dias para Punta del Este. Melhor época para Punta é entre o Natal e o Carnaval.

 

Então, com 15 dias livres você pode realizar esse roteiro completo, olha que beleza!

 

Espero que tenham gostado... Boa viagem e até a próxima!

Zoo Luján
Caminito BsAs