The Big Apple, Capital of the World, Gotham, Naked City, City That Never Sleeps, N.Y.C., Empire City, Melting Pot, Gothamland, Capital of Everything e Concrete Jungle são nomes dados à esplêndida cidade Nova Iorque.

 

Voltei de viagem e achei interessante compartilhar com vocês o roteiro que eu fiz durante a minha última experiência na cidade que nunca dorme, em 2014.

 

Estação do ano: Verão. Caracterizado por dias longos, não é à toa que o sol se põe por volta das 20h30min... Amo o dia, amo o sol, amo o verão... Ahhh, o verão!!!

 

O roteiro é indicado especialmente a viajantes que apreciem aventuras como caminhar e explorar o desconhecido. Quando viajo, e sei que vou passar pouco tempo no local, prefiro conhecer os pontos turísticos e lugares indicados nas pesquisas que realizei (existe todo um planejamento).

 

Sendo assim, visitar museus não se encontra na minha lista de “principais coisas a serem feitas” (não que eu não goste, ao contrário disso), por se tratar de um programa que demanda tempo, variável não muito abundante em viagens rápidas.

 

Além disso, prefiro deixar os museus para viagens realizadas no inverno, período frio, e que não nos permite fazer tantos programas externos como no verão. Mas, cada um tem suas prioridades, então se sinta à vontade para seguir esse roteiro pronto, ou pegar apenas algumas dicas e encaixar no seu próprio roteiro. Ou, se preferir, visualize o roteiro rápido ou as dicas gerais.

 

Manhattam from Brooklyn Bridge Park

New York, New York: So nice, they named it twice!

New York Sightseeing and the Times Square
Hot Chocolate + Tomato Square + Butter Croissant + Chocolate Croissant
Times Square
Columbus Circle
O mundo, eu e minha irmã .
Lincoln Center
Strawberry Fields, Imagine
Cathedral St. John the Divine
Jacqueline Kennedy Onassis Reservoir
Alice in Wonderland
Bethesda Fountain
Carnegie Deli
Pastrami Sandwich
The Biergarten at the Standard, High Line
The Biergarten at the Standard, High Line
The Standard Rooftop
Little Italy
Grimaldi's Pizza
Pier com vista para a Brooklyn Bridge
Brooklyn Bridge Park com vista para Manhattan

Optei pelo ônibus turístico New York Sightseeing da empresa Gray Line. Paguei por dois dias e ganhei o terceiro de brinde. O investimento foi de $59. Os tours começam às 08h00min e eu realmente recomendo começar o roteiro nesse horário mesmo.

 

Eu acordava às 06h00min, saía do hotel às 07h15min, 07h30min, no máximo, tomava um hot chocolate com tomato square ou butter croissant + chocolate croissant, na Starbucks da Times Square, e pegava o ônibus às 08h00min.

 

O dia é longo, a maratona só está começando, não dá para perder tempo.

 

Obs1: Durante o trajeto do ônibus, você pode descer nas paradas que tiver interesse, passear pela redondeza, e pegar o próximo ônibus no mesmo local que o anterior te deixou.

 

Obs2: Toda hora é hora de tirar foto na Times Square (meu lugar preferido em N.Y.C).

 

Times Square é a denominação da área formada na confluência e cruzamento de duas grandes avenidas da cidade, podendo ser definida como uma grande praça ou largo, composta por vários cruzamentos e esquinas.

 

É uma grande área comercial, onde todos os prédios são obrigados a instalar letreiros luminosos para propósitos de publicidade. É onde está localizada a NASDAQ, uma das principais bolsas de valores do mundo. Entre seus pontos comerciais mais conhecidos estão os estúdios da rede de televisão ABC, de onde o programa matinal Good Morning America é transmitido ao vivo, bem como os famosos estúdios MTV e da Virgin Records.

 

O local possui uma das maiores concentrações da indústria do entretenimento no mundo, além de grandes lojas de famosas marcas internacionais, e obviamente congrega inúmeros anúncios luminosos de publicidade que durante a noite tornam-se uma atração peculiar.

 

Dica: os melhores horários para tirar foto na Times Square são pela manhã, bem cedo, ou de madrugada, pois nesse período o local não fica tão cheio quanto no decorrer do dia. Sendo assim, as fotos saem mais exclusivas, sem muita gente fazendo participação especial.

Obs3: As paradas que estão em negrito são as mais importantes. As demais ficam ao seu critério.

 

Obs4: É importante mencionar sobre a cultura nova-iorquina em dar gorjetas, as famosas “tips”, em praticamente todo serviço demandado. Fica a sua escolha colaborar, de acordo com o atendimento, com 10%, 15% ou 20%.

 

Roteiro

 

Dia 01: Uptown Loop – Essa não é a mais envolvente das rotas já que a maior parte dos pontos turísticos de New York se encontra em ‘Downtown’, mas vale a pena fazer. Incluí o Central Park para torná-la mais atrativa.

 

Obs5: Vale ressaltar que a forma de ‘turistar’ é muito pessoal, algumas pessoas preferem ficar em cima do ônibus apenas admirando a cidade e ouvindo as informações que vão sendo passadas. Eu gosto de descer em algumas paradas para tirar fotos e explorar a redondeza. Portanto, irei descrever o roteiro que considero o mais interessante.

 

Obs6: Não o realizei na íntegra, infelizmente. Ele é composto pela minha última experiência + algumas dicas que “Descobri com Novas Pesquisas” (DNP).

 

Início: 08h00min.

 

Começa no número 22.

 

Não desci na parada 23

 

Desci na parada 24: Columbus Circle – É uma rotatória batizada em homenagem ao navegador europeu Cristóvão Colombo. É considerada a praça mais visitada de Manhattan depois da Times Square.

Parada 25: Fui andando (cerca de seis blocos) da parada 24 para a parada 25: Lincoln Center.

Parada 26: Peguei o ônibus na parada 25 e fui para a parada 26: Strawberry Fields, Imagine.

O memorial Strawberry Fields Forever é uma homenagem a John Lennon dedicada pela viúva Yoko Ono. Trata-se de um grande mosaico, em preto e branco, com a palavra “Imagine” ao centro, cravado no chão do Central Park, referência à famosa canção dos Beatles. Fica próximo à entrada do parque, em frente ao Dakota Building, prédio em que Lennon morou e foi assassinado, em 1980. Todo ano, fãs o enchem de flores para lembrar o aniversário do artista (dia nove de outubro).

 

Parada 29: Cathedral St. John the Divine. Com seu estilo gótico, essa Catedral disputa com a Catedral Anglicana de Liverpool, o título de “maior igreja anglicana do mundo”.

Parada 32: Malcolm Shabazz Harlem Market – Pedi para descer, mas o motorista não parou... Queria muito ter descido para conhecer o mercado.

 

Parada 35: Guggenheim Museum: Apesar de a parada ser destinada ao museu, não seria essa minha opção. Escolheria visitar o Jacqueline Kennedy Onassis Reservoir, localizado no Central Park.

Maior lago do parque, ele foi criado nos anos 1860 como uma fonte temporária de água para a cidade de NY enquanto o sistema oficial passava por reformas. Na época, um bilhão de galões de água abastecia a cidade por menos de duas semanas. Hoje em dia, com o crescimento de Manhattan, essa fonte de água se esgotaria em menos de 4 horas. Queria ter ido. O lugar é lindo. A vista é apaixonante. Deveria ter descoberto isso antes. (Da série ‘DNP’ – Descobri com Novas Pesquisas).

 

Obs7: A próxima parada é a 37ª, mas não aconselho a caminhada de uma para a outra, pois são 17 blocos entre elas.

 

Parada 37: Frick Collection/Whitney Museum: Como disse na parada anterior, não optaria pelas visitas sugeridas no nome da parada. Preferiria visitar o Central Park, mais especificamente: Alice in Wonderland e o Bethesda Terrace.

 

Alice in Wonderland (DNP): Trata-se de uma estátua de 11 metros localizado ao norte do Conservatory Water na East 74th Street, Alice no País das Maravilhas é uma das esculturas mais amadas do Central Park. Homenagem ao clássico de Lewis Carroll,  tem todos os principais personagens do conto, como o Chapeleiro Maluco, o coelho e o gato. Fica localizada ao lado do Conservatory Water.

 

Bethesda Fountain and Terrace: Uma linda fonte chamada “Angel of the Waters“ (Anjo das Águas) cravada no coração do parque. Não deixe de subir as escadas e apreciá-la do terraço. Famoso por ter sido cenário das gravações do seriado americano Friends.

Parada 40: Park Central: Almoço na Carnegie Deli, o famoso Sanduíche de Pastrami, carne macia e extremamente suculenta.

 

Trata-se basicamente de uma carne bovina, normalmente o peito do boi, que passa por uma cura com sal e especiarias, em seguida é defumado, e por ultimo cozido no vapor, adquirindo sabor único e textura incrível.

 

O sanduíche é enorme, dá para compará-lo ao Sanduíche de Mortadela do Mercadão de São Paulo, então, sugiro dividi-lo com alguém.

 

Sanduíche de Pastrami: $18.  Cerveja: $7. Refrigerante: $4.

Para os que não apreciam esse tipo de culinária, há outras opções no local.

 

Faz parte do cardápio “não deixar de comer em N.Y.C”, o Sanduíche de Pastrami e o Cheesecake.

 

Não comi o Cheesecake porque estava  extremamente satisfeita e não havia mais espaço para sobremesa, mas confesso que me arrependi de não ter levado para saboreá-lo mais tarde, no hotel.

 

Cheesecake: $10.

 

Obs8: Como cada um tem seu próprio tempo, eu não sei que horas você chegará aqui. Eu, por exemplo, cheguei por volta das 15h00min, logo, já havia enganado o estômago com algumas besteiras que encontrei pelo caminho.

 

Parada no Hotel para tomar banho e trocar de roupa, se estiver com tempo.

 

17h00min The High Line - 23rd St. Lawn: Metro Linha Azul “E” Train, Stop 23 St. (South Direction). Anda dois blocos para chegar ao High Line, parque suspenso construído a partir de uma linha de trem desativada. Proposta simples e interessante! (Da série ‘DNP’ – Descobri com Novas Pesquisas)

 

17h30min The Biergarten at The Standard, High Line: Metro Linha Azul “A-C-E” Trains, Stop 14 St. (South Direction). Anda dois blocos até Wasinghton St com a 13th. (DNP)

19h30min The Standard Rooftop, High Line: Terraço lindo, vista excepcional. Pôr do Sol imperdível!!! (DNP) 

 

São tantos rooftops convidativos em NYC que fica dificílimo decidir por qual optar pela visita. Esse, por exemplo, eu não tive a oportunidade de conhecer... Foi uma dica especial que me deram enquanto eu estava em outro terraço, que indicarei mais adiante.

 

É importante salientar que o acesso aos rooftops é gratuito, paga-se apenas o que consumir no local, mais a gorjeta.

The Standard Rooftop

Dia 02: Downtown Loop – Essa rota será dividida em dois dias para que seja aproveitada da melhor forma possível.

 

Início: 08h00min.

 

Começa no número 01.

 

Parada 03: Macy’s/Madison Square Garden:

 

Fundada em 1851, a rede de loja de departamentos, Macy’s, ocupa um quarteirão nova-iorquino inteiro, e é apelidada de a maior loja do mundo. Anualmente a Macy’s promove uma parada no Dia de Ação de Graças, nas ruas da cidade de New York, considerada como a maior parada do gênero em todo o mundo, contando com centenas de bonecos e balões decorados.

 

Madison Square Garden é um complexo de quatro arenas onde ocorrem eventos esportivos e recebem apresentações de grandes nomes da música, como Elvis Presley, Led Zeppelin, Pink Floyd, Madonna, Michael Jackson, Justin Timberlake, Michael Bublé, Beyoncé, Taylon Swift, Lady Gaga, Elton John, Justin Bieber, Laura Pausini, Ivete Sangalo etc. Se tiver sorte, uma boa atração pode estar agendada para o seu período de visita, então, que tal dar uma olhada no site

 

Parada 09: Soho. Pensei em descer, mas não o fiz. Em Londres, Soho é um bairro boêmio, repleto de pubs, no entanto em N.Y.C. trata-se de uma rua para compras, como se fosse a Oxford St., em Londres. Dizem que os preços são mais baixos que em outras localidades da cidade, mas como não desci (meu interesse não girava em torno das compras), não tenho como confirmar essa informação.

 

Parada 10: Chinatown/Little Italy/Canal St.: Desci para explorar o local. Indico caminhar um pouco pela redondeza e ver um pouco da arquitetura e cultura chinesa e italiana. 

Parada 11: City Hall/World Trade Center/Brooklyn Bridge: Andei da parada anterior até essa, é uma boa caminhada (cerca de 30 minutos), mas acho que vale a pena.

 

Momento propício não somente para explorar o polo financeiro nova-iorquino, como também visitar o “9/11 Memorial” (Ground Zero) e o novo World Trade Center. (Não realizei essas visitas).

 

É nessa parada - 11 - onde será feita a troca para o Brooklyn Loop.

 

Parada 01 do Brooklyn: Brooklyn Promenade: Desci na primeira parada para aventurar conhecer a Grimaldi’s Pizzeria. É uma boa caminhada (por volta de 30 minutos), mas vale MUITO a pena.

 

Um dos mais longos debates em execução não é apenas sobre a rivalidade entre a qualidade das pizzas de Nova York e Chicago, mas quem realmente tem a melhor pizza em New York.

 

Toneladas de restaurantes de Nova Iorque que servem pizza caseira te oferecem uma voz no debate. Você simplesmente não pode fazer uma viagem para N.Y.C. sem acrescentar a sua opinião sobre o assunto, e, felizmente, não há debate mais saboroso!

 

A fila não é nada agradável (tem que esperar em pé, por volta de uma hora), ainda mais quando se está morrendo de fome. Mas não se assuste, nem desanime, vale a pena esperar, pois a pizza é ma-ra-vi-lho-sa e custa apenas $14, a tradicional, com oito fatias. Existe a opção de acréscimo de recheio, e cada um sai por volta de $2. Refrigerante: $2.

 

Obs9: Se estiver em grupo, ótimo, pois o que mais demora é a mesa para duas pessoas. Os grupos sempre passavam na nossa frente, fiquei até com vontade de formar um grupo ali na hora, só para andar mais rápido.

Outra opção é pedir a pizza para levar e comer no Brooklyn Bridge Park, que será a próxima parada, mas não sei quanto à qualidade da pizza, por via das dúvidas, indico esperar na fila e comer dentro do restaurante mesmo.

 

Depois de saborear essa maravilha gastronômica, que tal descer a rua, em direção ao rio, e apreciar uma das vistas mais lindas para New York? Foi do Brooklyn Bridge Park que tirei as melhores fotos com os lindos arranha-céus e a memorável New York, New York... 

Depois, são duas as opções: ou caminhar até a parada 01, novamente, e pegar o ônibus para conhecer um pouco mais do Brooklyn e voltar para Manhattan, ou pegar o barco ali mesmo no parque, e voltar (foi o que escolhi).

 

Empresa: East River Ferry Service. Duração: Menos de 10 minutos. Travessia: $4.

 

17h00min Stone St: Chegando a Manhattan, fui até a Stone St., ruela onde se esconde uma das pérolas de NY.

 

Localizada entre a Pearl St. e William St., a Stone St. é uma ruazinha no estilo europeu, frequentada por executivos de Wall Street, lotada de nova-iorquinos curtindo um Happy Hour.

 

Clima agradabilíssimo, gente bonita, chopp a céu aberto, poucas quadras do coração financeiro de NY, tem como não se apaixonar por um lugar desses?

 

Bares famosos: Ulysses / Tavern.

Stone Street

19h00min JAZZ: New York é sem sombra de dúvida a capital do Jazz. É possível assistir uma apresentação todas as noites nos mais variados locais. Vale a pena comparecer a um show ao vivo enquanto estiver na cidade.

 

A experiência é única e inesquecível! A dificuldade será escolher um ou dois clubes já que a vontade é de ir a todos! Greenwich Village, onde muitos dos clubes de jazz de hoje podem ser encontrados, também é conhecido como um marco importante na cena do jazz.

 

Assisti a um show no Village Vanguard às 20h30min (Custa entre 25 e 30 dólares e não pode fotografar ou filmar – recomendo reservar, pois pegamos fila para quem não tinha ingresso. Por sorte estávamos no princípio da fila e conseguimos entrar... O espaço é pequeno e não sei se todos que estavam na fila tiveram a mesma oportunidade. Cheguei por volta das 19h30min.) e depois, às 22h30min, um show no Smalls Jazz Club ($20 dólares e pode fotografar e filmar – não precisa reservar).

 

Amei as duas experiências, o Village Vanguard tem um ar clássico, já o Smalls Jazz Club é mais casual, descontraído... Exige-se, tanto no Village quanto no Smalls, o consumo de, no mínimo, uma bebida. Os dois estão bem próximos o que facilitou bastante a realização do roteiro. Então, quando for escolher o clube sugiro olhar a localização e quem irá se apresentar no dia.

 

Village Vanguard
Smalls Jazz Club

Opções de Clubes de JAZZ:

 

Village Vanguard

Smalls Jazz Club

Blue Note Jazz Club

Smoke Jazz Club

55 Bar

Swing 46

Arthur's Tavern

Birdland Jazz

 

Bom espetáculo!

 

 

Dia 03: Downtown Loop – Segunda parte do roteiro Downtown.

 

Início: 08h00min.

 

Parada 12: Statue of Liberty/Ellis Island Ferry/Battery Park: Que tal fazer uma visita à Estátua da Liberdade? Para evitar enfrentar filas quilométricas, sugiro ir o mais cedo possível. O lugar é admirável e a vista para NY, belíssima. Aproveite para fazer fotos esplêndidas! Valor: $18.

The view from the Statue Cruises
Liberty Island with Manhattan's view.
The Statue of Liberty and I

Ps: Não visitei a ilha dos museus.

 

Na volta, não perca a oportunidade de tirar fotos no famoso “Charging Bull”.

 

No mercado financeiro, o touro (ataca com o movimento da cabeça de baixo para cima) significa ‘esperançoso’, ‘confiante’, ‘otimista’ com relação a algum evento futuro, o mercado em tendência de alta com o preço das ações subindo.

 

Em oposição, o urso (retruca com patada de cima para baixo) se refere à expectativa de queda dos preços das ações.

 

O touro de Wall Street é uma atração turística disputada quando se trata de fotografias. É uma multidão de turistas tentando chegar perto para registrar o momento, mas não desanime: fique ao lado das pessoas e vá tentando mostrar que é a sua vez.

 

Para quem pensa que só tirar a foto com a cabeça do touro está valendo, ledo engano, o importante mesmo é esfregar o chifre, o focinho e as ‘bolas’ do animal, pois reza a lenda que essa ação atrai muita sorte e dinheiro.

 

Por via das dúvidas, eu não só esfreguei como apalpei e segurei firme. E deu certo. Foi um dia de muitas surpresas positivas!

 

Boa sorte! Good luck! Buona fortuna! Bonne chance! Viel Glück!

The Charging Bull
And his balls of luck.

Lombardi’s: Hora do almoço.

 

Sabe aquela história que contei anteriormente sobre o debate de quem realmente tem a melhor pizza em New York? Pois é, eu realmente levei isso à sério, depois que experimentei a deliciosa pizza da Grimaldi’s, e me empenhei para tirar minhas próprias conclusões...

 

Então, que tal enfrentar uma, ou melhor, outra fila (grande, mas achei mais rápida que a da Grimaldi’s) e comer outra pizza tão gostosa quanto à do dia anterior?

 

Pegue o metrô em “Bowling Green”, suba até Brooklyn Br City Hall e troque para a linha 6, suba mais duas paradas e desça em ‘6’ Spring St.

 

Pedi a pizza tradicional, a mais simples, que continha apenas molho de tomate e queijo, e estava divina!

 

Pizza tradicional, oito fatias: $21.50. Refrigerante: $2.

 

Fiquei apaixonada pelas pizzarias de N.Y.C. Difícil escolher a melhor pizzaria até o momento, risos.

 

Bom apetite!

Grimaldi's Traditional Pizza

Parada no Hotel para tomar banho e trocar de roupa, se estiver com tempo.

 

17h30min La Birreria: Metro Linha Amarela “N-R” Trains, Stop 23 St. (South Direction). Ambiente agradável para tomar algumas cervejas e socializar. Deveria ter descoberto isso antes. (DNP)

La Birreria
La Birreria

19h30min 230 Fifth – Rooftop: Cerca de três blocos entre o La Birreria e o 230 Fifth. Terraço lindo, vista espetaculosa. Pôr do Sol imperdível!!! Rooftop mais turístico, movimentado e badalado! Amei, amei, amei! Entrada gratuita, paga o que consumir, mais a gorjeta.

230 Fifth Rooftop

Dia 04: Midtown – Sem ônibus turístico, agora o que está em jogo são seus pés caminhando, pedalando, ou ao invés deles, o metrô, risos. Com o mapa na mão, siga as indicações abaixo.

 

Início: 08h00min.

 

Parada 01: Rockfeller Center ou Rockfeller Plaza: 49th St. entre a 5th e 6th Avenida. Esse complexo de 19 edifícios comerciais é atualmente uma das principais atrações turísticas de New York, especialmente no inverno, quando a praça principal está decorada com uma grande árvore de natal, bem como possui uma grande pista de patinação.

 

Parada 02: Love: 6th Avenida ou Avenida das Américas, entre a W 54th St. e W 55th St. A obra LOVE do artista plástico Robert Indiana foi originalmente criada para um cartão de natal do Museu de Arte Moderna de New York (Museum of Modern Art – MoMa) em 1964 e exibida como escultura pela primeira vez em 1970 na cidade de NY.

Love

Desde a primeira exibição como escultura, LOVE foi recriada inúmeras vezes ganhando diferentes cores e formas que estão expostas pelo mundo todo além de algumas versões traduzidas.

 

Confeccionada na época em que os EUA estavam consumidos pela Guerra do Vietnã, a escultura LOVE se tornou um símbolo de paz entre os americanos. A versão de NY foi terminada em 1970 e instalada em 1971. Medindo 3.65 metros de altura, a obra está exposta na 6th Avenida propondo amor em vermelho entre os enormes arranha-céus da cinzenta NY.

 

Estudos indicam que a versão nova-iorquina de LOVE é o segundo ponto turístico mais fotografado na cidade, perdendo apenas para a Estátua da Liberdade.

 

Parada 03: FAO SCHWARZ: E 58th St. entre a 5th Avenida e a Madison Avenue. Loja de brinquedos famosa pelo seu piano de chão gigante em que as pessoas podem tocá-lo ao caminhar por ele. Filme famoso: Quero ser Grande, com Tom Hanks.

The Big Piano at Fao Schwarz
Big, Estrelando Tom Hanks

Parada 04: Grand Central Terminal: E 42nd St. com a Park Avenue. Metro Linha Verde “4-5-6” Trains, Stop 42 St. (South Direction).

 

Cenário de alguns filmes famosos, a Grand Central Terminal é considerada a maior estação ferroviária do mundo.

 

O que ver: a fachada de colunas e as estátuas de Hércules, Minerva e Mercúrio ao redor de um belo relógio, o Salão Principal (Main Concourse) com suas três grandes janelas de 23 metros de altura, o teto do Salão Principal com a pintura do céu e suas constelações que, curiosamente, foram reproduzidas invertidas, as belíssimas escadarias, e o relógio de quatro lados sobre a central de informações.

 

Cenário de diversos filmes, por exemplo, Amizade Colorida, com Justin Timberlake.

 

Não fui porque faltou tempo, infelizmente.

Grand Central Terminal
Friends with Benefits

11h00min Roberta’s: Hora do almoço.

 

Eu já disse que se me deixar eu como pizza todos os dias em N.Y.C? Se não disse, estou dizendo agora, e se já disse, estou confirmando, de novo, e mais uma vez, o que eu mesma disse, recomendando, nesse momento, mais um lugar para comer essa maravilha.

 

Roberta’s fica no Brooklyn e eu não fui, infelizmente. (DNP)

 

Partindo da Grand Central Terminal, Metro Linha Verde “4-5” Trains, Stop 14 St. Union Sq. (South Direction). Troca para a Linha Cinza “L” Train, Stop Morgan Avenue.

 

O trajeto dura cerca de 30 min. Provavelmente terá fila, como toda boa pizzaria que tive o prazer de conhecer, risos. Mas, repito, vale muito a pena!

 

Pizza Tradicional: $13. Refrigerante: $2.

Roberta's Pizza

14h00min ou 15h00min Musical da Broadway: Famosa no mundo inteiro, quem  nunca sonhou com a Broadway?

 

Para os que não sabem, a Times Square de dia também brilha! São mais de 40 teatros, produções  impecáveis, cenários maravilhosos e efeitos impressionantes!

 

Ir a New York envolve um mix de “coisas que você não pode deixar de fazer” como, por exemplo, ir a um rooftop, um clube de jazz, e um musical. O preço não é muito atrativo, mas vale o esforço (quebrar o porquinho) para assistir a um espetáculo, afinal, quando será a próxima oportunidade?

 

Valor: aproximadamente $75, o ingresso mais barato - fiquei na última fileira do teatro.

 

São inúmeros shows, portanto, escolha o que mais te atrai. Em NY, eu só assisti Cinderella, e foi lindo, lindo, lindo!

 

Mas, em outra ocasião, já assisti ‘O Rei Leão’, ‘Wicked’, ‘O Fantasma da Ópera’, ‘Mamma Mia’, ‘Chicago’, entre outros. O Fantasma da Ópera é um clássico. O Rei Leão é de uma produção inacreditável, assisti duas vezes. Chicago é incrível, mas eu sou suspeita porque sou apaixonada pelo filme, então já assisti três vezes. Wicked eu não dava nada, nem sabia a história, e me surpreendeu a cada minuto, adorei. Mamma Mia eu amei também.

 

É, acho que não ajudei muito na sua escolha... Para completar, devo acrescentar que, enquanto eu estava em NY, soube que o musical que estava fazendo sucesso, no momento, era Aladdin.

 

Já viu, né?! A decisão é sua, risos...

Broadway Musicals

Obs10: Coloquei o musical logo após o almoço devido à existência de espetáculos durante o dia (pelo menos em alguns dias da semana e aos finais de semana), já que as noites estão sempre ocupadas com outras programações.

 

Parada no Hotel para tomar banho e trocar de roupa, ou se já tiver feito o check-out, aproveitar os últimos momentos na tão admirável Times Square.

 

19h30min The Press Loung - Rooftop: Que tal se despedir de N.Y.C em um rooftop sensacional? Com um vista magnífica e um por do sol extraordinário?

 

Localizado na 11th Avenida entre a W 47th St. e a W 48th St., no topo do Ink48 Hotel, The Press Lounge é um lugar inesquecível que vai te deixar com mais saudades de New York do que você já deve estar, risos. 

 

É solicitado respeito à política de código de vestimenta, recomenda-se, portanto, o “casual elegante” e proíbem-se roupas de praia, academia e sandálias.

 

Entrada gratuita, paga somente o que consumir, mais a gorjeta.  

 

Obs11: Drinks sugeridos: “La Opinion” e Surfside News”.

 

Divirta-se!

The Press Lounge Rooftop
The Press Lounge Rooftop

Fui andando da Times Square até o Press Lounge, cerca de 20 minutos, e levei o sapato alto em uma sacola. Chegando lá, troquei de sapato e coloquei a sandália rasteira na sacola, dentro da bolsa. Simples, prático e confortável.

 

Por fim, devo indicar o local em que fiquei durante quatro noites, muito bem localizado (Times Square) e econômico: Hotel Carter.

 

Porém, nem tudo são flores, o quarto tinha um cheiro forte de mofo e a limpeza foi realizada dia sim, dia não, mas pelo “baixo” valor desembolsado e excelente localização, releva-se esse detalhe.

 

Além disso, devo compartilhar, também, que descobri que ele não é um hotel tão comum quanto os outros, risos. Em pesquisas, li que o Carter tem fama de ser um pouco mal assombrado, então, o melhor a fazer é não ficar sozinho. Durante a minha estadia, foi tudo tranquilo, mas acho que vale a pena alertar para o fato.

 

O importante é que o hotel está praticamente dentro da Times Square e o preço ficou equiparado com o de alguns albergues, distantes desse local tão privilegiado. O quarto duplo fica em torno de $159, o triplo $169 e o quádruplo $179. Em se tratando, não somente de New York City, mas também da Times Square, não tenho o que reclamar do valor cobrado.

 

Obs11: Wifi não disponibilizado. Necessário comprar, de acordo com a quantidade de dias desejado, em uma máquina, no lobby do hotel.

 

Obs12: Após efetuar o check-out, o Hotel Carter oferece um serviço, opcional, de deixar as malas guardadas no hotel, caso ainda vá passear pela cidade. É cobrado um valor de $5 por mala.

Carter Hotel

É isso, espero que tenham gostado do meu roteiro...

 

Boa viagem e até a próxima!

NY Taxi

Dicas Extras

 

Chipotle: Cadeia de restaurantes que tem como especialidade Burritos e Tacos. O Burritos é o melhor do mundo, em minha opinião. Se não quiser comer pizza durante três dias, uma ótima opção é o Chipotle. O Burritos é enorme. Já passei no teste... Hoje em dia consigo comer um inteiro.

Primeiro eles perguntam se você quer a “Burrito, a Bowl or Tacos” (Burrito, Tigela ou Tacos), depois qual o tipo de feijão, Black Beans or Pinto Beans (Feijão Preto ou Feijão Marrom), em seguida o tipo de arroz, Brown Rice or White Rice (Arroz Integral ou Arroz Branco). Posteriormente, qual o tipo de carne, Steak, Chicken, Barbacoa ou Carnitas (Carne de Churrasco, Frango, Carne Desfiada ou Carne de Porco), depois o tipo de molho, Tomatoes, Salsa or Picante (Tomate, Salsa – Picante ou Picante – Muito Picante). Por último, os condimentos, Sour Cream (Molho Mexicano), Corn (Milho), Cheese (Queijo), Guacamole (Abacate) e Lettuce (Alface).

 

O pedido que eu geralmente faço, na ordem: Burrito – Black Beans – White Rice – Steak - Tomatoes Salsa – Sour Cream – Corn – Cheese – Guacamole – Lettuce and Extra Guacamole.

 

Valor: $7. Extra Guacamole: $2. Refrigerante: $2.

 

Pret a Manger: Empresa de fast-food britânica que sou apaixonada. É uma boa opção para lanche ou janta. Baguettes e Saladas em torno de $8 cada.

Indico “Italian Prosciutto on Artisan Baguette”: Presunto de Parma, queijo parmesão, manjericão, tomate, maionese e baguette artesã.

 

Indico, também, outra Baguette, que não me recordo o nome, mas tem como ingredientes: abacate, tomate seco e azeitona preta.

 

As saladas são deliciosas. Recomendo comprar o molho para colocar na salada. Tem vários sabores, escolha o que for preferir. Escolhi uma divina que continha alface, tomate, ovo, atum, pepino, azeitonas pretas e alcaparras.

 

Amorino: Sorveteria italiana que não tive a oportunidade de conhecer, ainda, mas está na lista. Se ela está na minha lista, então é válida a recomendação, risos. (DNP)

Katz’s Delicatessen: Localizada em Houston St., tournou-se popular entre os habitantes locais e turistas para os seus sanduíches de pastrami e cachorros-quentes, os quais são amplamente considerados entre os melhores de Nova York. (DNP)

Serendipity 3: Restaurante nova-iorquino famoso e muito disputado, sendo assim, recomendo reservar antes ou preparar-se para enfrentar uma fila de cerca de uma hora. Serendipity: "A arte de encontrar o agardável inesperado por acaso ou por sagacidade". 

É apropriado tanto para almoço quanto para janta, mas o carro chefe mesmo é o escandalosamente divino chocolate quente gelado. Confesso que o almoço (um sanduíche indicado pelo garçom) me surpreendeu muito mais que a sobremesa. Observei os pedidos de pratos e sobremesas feitos por outras mesas e todos pareciam muito apetitosos.

Serendipity 3 está na lista dos 15 restaurantes nova-iorquinos que você pode encontrar as celebridades... Quem sabe não é o seu dia de sorte?

 

Bohemian Hall Beer Garden: Localizado em Astoria, oferece um ambiente agradável para tomar cerveja e socializar. (DNP)