Torres del Paine (TdP) está localizado na Região de Magalhães, ao sul da patagônia chilena, e é avaliado como um dos lugares mais bonitos do mundo. É considerado um dos parques mais impressionantes do sul do Chile e um dos principais destinos de viajantes do mundo inteiro, sobretudo para os que gostam de acampar. 

 

O parque oferece um incrível conjunto de belezas naturais: água sob todas as formas – lagos, vertentes, cascatas, glaciares – bosques, penhascos, montanhas com picos nevados e torres rochosas. Fundado como parque no final da década de 1950 e declarado como  Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO em 1978, TdP tem uma área de aproximadamente 242 mil hectares, cerca de 250 KM de trilhas bem sinalizadas e mais de 150 mil visitantes por ano.

 

Há passeios de um dia, com caminhadas curtas, cavalgadas, passeios de caiaque, rafting, caminhadas no gelo e até pesca esportiva. Além de áreas que podem ser visitadas de carro ou barco, tornando o parque acessível a qualquer pessoa e atraindo desde mochileiros a quem prefere viajar sem abrir mão do conforto.

 

Os locais mais visitados do parque são o Lago Grey, o Glaciar Grey, o Salto Grande, o Salto Chico, a Cordilheira Paine e a base das famosas Torres del Paine – que dão nome ao parque e refere-se aos monumentos de granito gigante que atingem os 3.048 metros de altura.

Parque Nacional Torres del Paine

TdP: Una Aventura Patagónica Inolvidable

Para visitar o Parque Nacional Torres del Paine é imprescindível estar preparado em diversos aspectos.

 

Para começar, informação nunca é demais. Pesquise muito e informe-se bem. Comece a aceitar e internalizar o fato de que quem manda no parque é o tempo, que, por sua vez, é altamente instável, então pode ser que você não tenha a sorte de ver as torres, isso acontece.

 

Estar equipado adequadamente é outro aspecto essencial. Usar roupas certas e alguns acessórios pode ajudar bastante. E, por último, mas não menos importante, o preparo físico é indispensável para um bom rendimento nas caminhadas, subidas e descidas.

 

Embora durante o verão os dias sejam quentes e longos (sol até às 21h00min) e seja possível usar roupas de calor, é essencial estar bem equipado contra o frio, o vento e a chuva, independente da época do ano, e usar calçados adequados (botas de caminhada que sejam confortáveis e impermeáveis).

 

Se for acampar é recomendada uma barraca forte (por causa dos ventos que aumentam à noite). Capa de chuva, luva e gorro devem estar sempre na mochila. Não deixe de incluir protetor solar, hidratante labial e óculos escuros. No inverno, a pele fica ressecada e pode queimar com o frio. No verão, óculos escuros e o protetor solar são essenciais para os passeios.

 

E em hipótese alguma esqueça a câmera fotográfica, claro.

Se você quiser desfrutar de uma vista ainda mais impressionante de Puerto Natales, suba ao Cerro Dorotea, que possui 800 metros. Do topo, é possível observar a cidade, o fiorde, os cordões montanhosos, e a estepe patagônica que se estende à Argentina.

 

Se você tiver sorte, no cume poderá ver o voo majestoso de um Condor-dos-Andes, símbolo nacional da Colômbia/Equador/Bolívia/Chile e maior ave voadora do mundo, conhecida também como abutre-do-novo-mundo.

 

Uma boa opção é fazer uma cavalgada até lá. Clique aqui e saiba mais.

Ouvi relatos de viajantes que planejaram a viagem com um ano de antecedência e quando chegaram ao parque não puderam concluir o trajeto devido ao mau tempo. E por falar nisso, a fama de mau tempo é muito conhecida por todos que aventuram conhecer o local. Fortes ventos e tempestades podem colocar esse sonho por água abaixo, fazendo você abandonar a trilha no meio do passeio.

 

Então, desejo que você tenha a mesma sorte que eu tive: um tempo incrivelmente lindo, com céu azul, poucas nuvens e muito sol. Pena que desisti logo no começo por diversos motivos que contarei logo adiante.

Estava fazendo um “mochilão” com um roteiro que eu mesma preparei, de acordo com roteiros de outros viajantes e lugares que considerei interessantes (TdP, por exemplo).

 

Sabia que para conhecer o parque eu teria que chegar a Puerto Natales, mas não sabia de mais nada. Foi então que eu descobri que teria que acampar e fazer uma trilha de cinco dias. A princípio, fiquei um pouco confusa se eu deveria encarar ou não. Minutos depois, resolvi pagar para ver, literalmente.

 

Eu não fazia ideia do que me esperava e pensei que fosse uma coisa leve. Imaginei, sim, uma aventura, mas não uma super aventura. Resultado: achei a trilha dificílima (sobretudo devido ao peso da mochila nas costas) e pensei que eu fosse morrer. Também não é para menos já que a classificação do nível de dificuldade é de moderado a extremo... Eu, claramente, não sabia disso antes.

 

O que eu vi – além de paisagens incríveis – foi que eu deveria ter me informado muito mais sobre como seria o passeio antes de encará-lo. Além disso, deveria ter feito uma preparação física mais intensa para aguentar firmemente os cinco dias de trilha. E, por último, deveria ter procurado um grupo de pessoas que tivessem o ritmo compatível com o meu.

 

Mas não desanime, pois tem gente de todas as idades e nacionalidades realizando o percurso completo tranquilamente. A caminhada é exaustiva, mas o visual vale cada passo. Tenho certeza que não irá se arrepender.

 

Aconselho colocar na mente que a trilha é superhipermegaultrapowerdifícil e, quando chegar lá, achar até muito fácil comparado à expectativa criada a pensar que é fácil e na hora H abandonar o barco que nem uma pessoa que eu conheço (eu mesma). Never mind, “I’ll be back”.

Moeda: A moeda local é o peso chileno, simbolizado por CLP. O dólar é aceito apenas em atividades turísticas. Casas de câmbio e caixas eletrônicos são encontrados apenas em Puerto Natales. Cartões de crédito e débito são bem aceitos na cidade e em pontos turísticos. No Parque TdP não há caixas eletrônicos e cartões não são aceitos; por isso, é sempre bom ter a moeda em mãos.

 

Propina: É a gorjeta dos garçons e geralmente não está incluída na conta. Após realizar o pagamento é que você deixa a propina para o garçom. Valor: 10% da conta.

 

Nota: Não é necessário visto nem vacina para entrar no Chile.

 

Como Chegar: O aeroporto mais próximo é o de Punta Arenas, a 247 KM ou 03 horas de Puerto Natales – porta de entrada ao PNTdP. Os voos são diários, a partir de Santiago, com duração de 04h15min e escala em Puerto Montt. Alguns hotéis oferecem o translado Punta Arenas – Puerto Natales de cortesia. Porém, no aeroporto há ônibus que fazem esse trajeto por 6.000 CLP ida (ou 11.000 CLP ida e volta), das 07h30min às 20h00min, quase de hora em hora. São três empresas: Buses Fernandez, Buses Pacheco e Bus Sur.

 

Barco desde Puerto Montt: Fazer o trajeto entre Puerto Montt e Puerto Natales atravessando os canais austrais é uma experiência diferente para conhecer a beleza natural da patagônia chilena. Embarcação: Navimag.

 

Nota: Se você tiver tempo e interesse, opte por ficar uma ou duas noites em Punta Arenas, que é uma zona livre para compras sem impostos. Aproveite para fazer um passeio a alguma pinguinera (ilha com pinguins) situada próximo à cidade.

Puerto Natales: Uma cidade pequena e acolhedora.

 

Percorra suas coloridas veredas que oferecem de tudo para o turista: roupas e produtos para esportes ao ar livre, passeios de caiaque, aluguel de bicicletas e numerosas lojas de souvenir.

 

Caminhe pela beira do canal Señoret, sempre com a companhia do vento, onde você poderá ver cisnes-de-pescoço-preto e desfrutar de impressionantes entardeceres de céus vermelhos.

A somente 24 KM da cidade encontra-se a Caverna do Milodón, que impressiona por seu tamanho e por sua história. O interesse científico no lugar, datado em 1896, se deve às descobertas de pele, ossos e outros restos de um animal extinto: o Milodón, um enorme herbívoro, espécie de uma preguiça gigante, que se extinguiu faz mais de 10 mil anos.

Navegue pelo fiorde Última Esperanza, porta de entrada ao Parque Nacional Bernardo O’Higgins, onde poderá conhecer os glaciares Balmaceda e Serrano. Uma boa ideia é subir num bote-zodiac e navegar o rio Serrano “arriba”, uma forma diferente de adentrar o PNTdP. Agência: 21 de Mayo.

Torres del Paine: São 112 KM pela Ruta 9 até o parque.

 

Um dia antes do passeio, assista a um seminário (em inglês) que ocorre diariamente, às 15h00min, no Base Camp Pub (Erratic Rock Hostel) e esclarece tudo sobre as trilhas de Torres del Paine.

 

Em seguida, compre comida para levar e alugue o que estiver faltando.

 

Prepare-se para enfrentar a fila de cada dia do mercado de Puerto Natales e opte por comprar pão, manteiga, queijo, salame, geleia, macarrão instantâneo, molho de tomate pronto, atum ou sardinha em conserva, frutas secas, castanhas, amêndoas, barra de cereais, chocolates etc. Não se esqueça do papel higiênico, ziploc e lenços umedecidos – seu provável banho, onde não houver chuveiro.

 

Saco de dormir, barraca, fogareiro, gás, panela, esponja e talheres podem ser alugados facilmente na cidade.

 

Veja aqui o checklist de um viajante. 

 

O ônibus sai diariamente de Puerto Natales às 07h30min e às 14h30min. A viagem dura cerca de 3 horas, a passagem custa 10.000 CLP e deve ser comprada com um dia de antecedência.

 

A taxa para entrar no parque é de 18.000 CLP e é válida por todo o tempo que estiver no local ou por três dias consecutivos, em caso de visitas diárias.

 

Tem um micro-ônibus que faz o translado da entrada principal do parque até uma parada mais próxima ao começo da trilha por um valor de 2.500 CLP.

Há dois tipos de turistas em TdP: os mochileiros aventureiros e os amantes da natureza e do conforto.

 

O primeiro grupo  costuma acampar em lugares definidos pelos guardas florestais. Quando não fazem isso, acabam incendiando o parque, como foi o caso das tragédias ambientais de 2005 e 2011. Já para os que não abrem mão de camas quentinhas, boa mesa e sofrimento controlado, a alternativa são ótimos hotéis e estâncias ao redor da área protegida.

 

Cinco excelentes opções junto às montanhas são os sofisticados Awasi, Explora, Las Torres, Tierra e o camping-chique Ecocamp. Quase todos os estabelecimentos funcionam no sistema all-inclusive, que conta não só com a hospedagem, mas translado, refeições, passeios e guias entrosados com a fauna, flora e geologia local.

 

Quem for acampar, há inúmeros campings gratuitos, mantidos pela CONAF, Corporación Nacional Florestal, e todos os refúgios também possuem local para acampar (variando entre 7.500 e 8.500 CLP), onde você tem a garantia de um banho quente e um abrigo com lareira.

 

Se for ficar alojado em alguma das camas dos refúgios, que variam de 20.000 a 85.000 CLP, é necessário reservar e levar passaporte para o check-in, do contrário só precisa preencher o número do passaporte no formulário, na entrada ao parque.

 

Os refúgios e campings funcionam de Setembro a Abril. Os valores variam entre 7.500 e 85.000 CLP, e alguns são de graça, porém não oferecem chuveiro. Veja aqui a tabela de preços. Todos os acampamentos têm instalações sanitárias básicas, mas leve seu próprio papel higiênico.

 

Não há necessidade de reservar vagas nos acampamentos, mesmo na alta temporada. 

É recomendável ir ao PNTdP de Novembro a Março, por ser a época mais seca do ano e quando as temperaturas estão mais razoáveis. O verão também é a época das ventanias, quando a velocidade do vento pode chegar a 110 KM/H. A probabilidade de temperaturas mais altas é maior, porém o parque fica lotado.

 

Os circuitos mais famosos são o Circuito W, que leva de 04 a 05 dias – dependendo do ritmo de cada um – e o Circuito O, que necessita de 07 a 10 dias para ser percorrido.

 

O famoso Circuito W pode ser feito sem equipamentos de camping, visto que há hospedagens nos refúgios desse caminho, e é o que mais atrai aventureiros do mundo todo.

 

Suas trilhas quando traçadas no mapa formam a letra W, têm 82 KM no total, e dispensa a necessidade de guia, pois são bem demarcadas.

Circuito W: Chegando de ônibus a uma das entradas do parque, próximo à Laguna Amarga, há três possibilidades: pagar 2.500 CLP e pegar outro ônibus até o refúgio Las Torres e iniciar a caminhada pelo lado leste do parque; continuar no ônibus e descer no catamarã, pagar 11.000 CLP e começar pelo lado oeste; continuar no ônibus até outra entrada e iniciar uma caminhada de 06 horas até o mesmo ponto que o catamarã leva 30 minutos.

Quando assisti à palestra, fiquei com vontade de começar pelo lado oeste do parque devido à explicação que foi dada.

 

Foi dito que pelo lado oeste é possível ter uma visão espetacular de fora do parque e então a vontade de entrar e conhecê-lo seria ainda maior.

 

Além disso, de alguma forma me pareceu mais fácil começar pelo lado oeste, ainda mais com um catamarã para ajudar...

 

Se você quiser começar pelo lado mais difícil, opte pelo leste, igual a mim, só não abandone o barco no começo da rota.

O catamarã sai às 12h30min e atravessa o Laho Pehoé até o Refúgio Paine Grande.

 

Daí, parte-se em direção ao Refúgio Grey, distante 11 KM e com duração aproximada de 03h30min. Durante essa caminhada, um visual excepcional do Glaciar Grey se aproximando.

 

Depois do Refúgio Grey, caminha-se por mais uma hora, 04 KM, para chegar ao acampamento gratuito, Los Guardas, que só possui um abrigo para cozinhar e um "banheiro" (buraco no chão coberto).

 

Fica a seu critério passar a noite no Refúgio Grey (pago) ou no Campamento Los Guardas (sem custo).

No dia seguinte, é bom dar uma última olhada no Glaciar Grey, mais de perto, e contemplar essa maravilha que faz parte do Campo de Gelo Sul.

 

Deixando o camping, caminha-se os 15 KM de volta até o Refúgio Paine Grande. Depois, mais 7,5 KM em 02h30min até o Campamento Italiano, situado na entrada do Vale do Francês.

Ao amanhecer, sobe-se 500 metros em 02h30min até o Mirador Britânico, distante 7,5 KM do Campamento Italiano. O mirador fica cerca de 30 minutos após o Campamento Britânico, que não possui abrigo e o banheiro é a natureza. Regressa-se ao Campamento Italiano, almoça-se e segue-se viagem em direção ao Refúgio Los Cuernos, distante 05 KM, 02h30min, e um valor de 8.500 CLP para acampar.

O quarto dia é o mais puxado (seria o segundo dia de quem começa pelo lado oeste), com quase 14 KM de distância e umas 6 horas de caminhada pela frente –  e praticamente só subida.

 

São 11 KM e 04h30min até o Refúgio Chileno e depois mais 03 KM e 01h30min até o Campamento Torres, que é gratuito e está a apenas 45 minutos do Mirador Base de Las Torres.

No último dia não tem moleza. Acorde de madrugada, por volta das 04h00min, coloque a lanterna na cabeça e comece a “escalada” de 45 minutos até o Mirador Base de Las Torres para um espetáculo exclusivo: ver o amanhecer nesse lugar divino.

 

A maior parte das marcações é refletora, mas preste atenção à trilha para não subir caminhos que não se deve. Inclusive, não confie naqueles que estão à sua frente, pois eles devem estar igualmente perdidos.

 

Depois é só voltar à entrada do parque, cerca de 03 horas de caminhada, retornar a Puerto Natales e contar essa aventura inédita ao mundo e aos netos, futuramente.

Circuito O: Para saber mais sobre esse circuito, clique aqui.

 

Outras Atividades: Full Day Torres del Paine, Full Day Perito Moreno, Pinguins Isla Magdalena, Kayak Glaciar Grey, Cavalgada, Caminhada e Escalada no Gelo, clique aqui e saiba mais informçãoes.

 

Bares / Cafés / Restaurantes em Puerto Natales

 

Base Camp: Agradável para comer uma pizza e tomar uma(s) cerveja(s). Está localizado na Baquedano, 731.

 

Cervejaria Baguales: É terminantemente proibido ir a Puerto Natales e não ir a esta cervejaria. O local oferece, além de um ambiente aprazível, comida mexicana, hambúrgueres e cervejas artesanais deliciosas. Não deixe de provar o Calafate Sour. Situado na Carlos Bories, 430.

 

Amerindia: Recomendado para comer alfajor, sanduíche ou torta e tomar chocolate quente, chá ou café. Direção: Barros Arana, 135.

 

Creperia, Café & Té: Um lugar excelente para os amantes de crepe. As saladas são bem avaliadas também. Localizado na Manuel Bulnes, 358.

 

Kau Lodge: Local tranquilo e acolhedor, ideal para ir depois de um dia de aventuras. Para acompanhar a linda vista nada melhor do que um bolo com café ou chocolate quente. Situado na Pedro Montt, 161.

 

Patagônia Dulce: Alfajor, bolo, café, chá e tortas. Destaque para o chocolate quente e os pastéis. Direção: Barros Arana, 233.

 

Sorveteria Artesanal Aluén Patagônia: Excelentes recomendações. Não deixe de experimentar alguma das muitas saborosas opções. Localizado na Barros Arana, 160.

 

Aldea: Está em 4º lugar no TripAdvisor, com ótimas recomendações quanto à comida e o serviço. Situado na Barros Arana, 132.

 

Atama: Conseguiu o 3º lugar no TripAdvisor, logo, possui boas indicações. Direção: Phillipi, 497.

 

Café Kaiken: Recheado de comentários positivos, obteve o 2º lugar no TripAdvisor. Localizado na Baquedano, 699 | Esquina Miraflores.

 

Cangrejo Rojo: Alcançou o 5º lugar no TripAdvisor, portanto, não deixe de conhecer. Está situado na Santiago Bueras, 782.

 

Pizzeria Mesita Grande: Soube que tem uma pizza de doce de leite que me deixou com água na boca só de imaginar...  Direção: Arturo Pratt, 196.

 

Santolla: Ótimos comentários ao seu repeito. Está localizado na Magallanes, 73b.

 

The Singular Patagônia Restaurant: Em 1ª posição no TripAdvisor e situado em Puerto Boris – 15 minutos de carro de Puerto Natales.

Alerta: A radiação solar nesta região é mais intensa devido ao buraco na camada de ozônio que está situado bem próximo ao local. Sendo assim, não economize protetor solar e beba muita água.

 

Importante: O PNTdP já enfrentou alguns grandes incêndios que foram causados por turistas imprudentes, então NUNCA acenda uma fogueira, não queime o papel higiênico e não acampe fora das áreas permitidas. Além disso, traga todo o seu lixo de volta, inclusive cascas de frutas e papel higiênico. Mantenha as fontes de água limpas: não urine a menos de 30 metros das fontes de água e não lave panelas ou talheres nos rios. Em caso de necessidade de fazer cocô, cave um buraco de pelo menos 20 cm e depois o enterre. Não saia das trilhas ou crie atalhos, use sempre as técnicas de mínimo impacto.

Las Torres
Glaciar Grey
Glaciar Grey
Las Torres
Parque Nacional Torres del Paine
Las Torres
Parque Nacional Torres del Paine
Puerto Natales
Mano
Muelle
Cueva del Milodón
Milodón
Glaciar Balmaceda
Zodiac
Cerro Dorotea
Las Torres
Parque Nacional Torres del Paine
Parque Nacional Torres del Paine
Circuito W
Parque Nacional Torres del Paine
Glaciar Grey
Los Cuernos
Las Torres
Las Torres
Las Torres
Parque Nacional Torres del Paine

Espero que tenham gostado... Boa viagem e até a próxima!

Puerto Natales